Controle de Gado: 5 dicas para ter mais sucesso na produção rural

Controle de Gado: 5 dicas para ter mais sucesso na produção rural

Sâmila Delprete | Tecnologia no Campo

Há um antigo ditado que diz que “o olho do dono é que engorda o boi”. Este ditado está correto, pois quando o pecuarista torna-se conhecedor da realidade de sua propriedade, o mesmo se empenha em encontrar alternativas para aumentar a produtividade e o lucro.

Pensando nesse cenário, em que o controle de gado é um fator crucial para a fazenda, é fundamental que o produtor anote informações que o auxiliarão na tomada de decisões estratégicas. A coleta de dados para realizar o controle do gado é um dos fatores indispensáveis para o sucesso da atividade para estar dentro da pecuária de precisão.

Contudo, o que anotar? Pensando nisso, o Tecnologia no Campo tem 5 dicas de Escrituração Zootécnica para te dar!

controle de gado

Fonte: Beef Magazine

O que é Escrituração Zootécnica?

O termo Escrituração Zootécnica é composto por duas palavras importantes ao se trabalhar com bovinocultura e pecuária.

Escrituração vem do verbo escriturar, que quer dizer, anotar. Zootécnica, remete à Zootecnia, a ciência da produção animal em seus mais complexos sistemas, como a nutrição, o manejo, a reprodução, a bioclimatologia e a administração rural.

Desta forma, Escrituração Zootécnica refere-se a anotação dos dados referentes à produção animal, para serem utilizados posteriormente na tomada de decisões estratégicas.

Por que fazer o controle do gado?

Proceder o controle pecuário eficientemente é indispensável por vários motivos, como:

  • controlar o patrimônio
  • acompanhar o desempenho de estratégias
  • poder planejar vendas
  • conferir índices de produtividade

Sem o controle, é impossível mensurar o sucesso ou não da atividade, e em caso negativo, propor ajustes.

Dica 1: O que eu devo anotar?

A Escrituração Zootécnica pode ser comparada a um mapa de atividades, onde cada índice vai proporcionar um retorno, revelando se você está indo no caminho correto ou não.

Anote, por exemplo:

  • dados referentes à alimentação (quantidade de ração, forragem, tipo de forragem),
  • manejo relativo à reprodução (data de cobertura, data do diagnóstico de gestação, previsão de parto, data de desmame, controle de inseminação artificial, controle do estoque de sêmen);
  • compra e venda de gado
  • controle de mortes e pesagens.

Dica 2: Utilize um software para gestão

O mercado tem inúmeros programas de gerenciamento de propriedades. Os softwares possuem várias formas de entrada de dados, controle de níveis de utilização da informação, assim como apresentam preços variados.

Segue abaixo exemplo de informações que podem ser obtidas a partir de um software de gestão para pecuária de corte:

  • Controle de contrato (compra, Boitel, parceria produzida);
  • Peso de entrada individual e por lote;
  • Peso de saída individual e por lote;
  • Identificação individual por animal;
  • Consumo de alimento por dia por animal e lote;
  • Controle de eficiência na fabricação e fornecimento de ração;
  • Controle de estoque de insumos;
  • Controle sanitário;
  • Rendimento de carcaça;
  • Ganho líquido de carcaça;
  • Custo por arroba produzida;
  • Lucro por arroba;
  • Lucro total.

Quer saber mais sobre qual é o melhor software de pecuária para sua propriedade? Fale conosco!

Dica 3: Controle individual ou por lotes?

O rebanho pode ser controlado de duas formas: individual ou por lotes. Ambos são muito importantes.

  • Controle de gado individual

Como o próprio termo revela, o controle individual é realizado o monitoramento animal por animal da propriedade. Cada animal deve possuir uma ficha onde serão anotadas suas características e desempenho.

As informações monitoradas geralmente são ganho de peso, produção leiteira, intervalo de partos, aplicação de medicamentos, etc. Dados que possibilitem avaliar o desempenho de cada animal separadamente.

  • Controle de gado por lote

Ao depararmos com dificuldade de anotação e mensuração de informações individuais, podemos fazer o uso dessas informações por lote, como por exemplo consumo de alimento.

O controle por lote também permite diversas análises comparativas entre os animais e seus resultados, como o custo por arroba vendida e margem de lucro por cabeça.

Resumindo, o controle dos animais deve ser específico ao objetivo do produtor. Deve propiciar dados de produção que sejam importantes para as tomadas de decisão.

O controle individual permite um maior detalhamento das informações, porém, aumenta o custo de gestão. Tem grande valia para a rastreabilidade e melhoramento genético dos animais.

Por outro lado, o controle por lotes apresenta menor custo de gestão e tem vantagens em relação ao planejamento e tomada de decisões estratégicas, principalmente a longo prazo.

Dica 4: Use o acompanhamento de profissionais especializados

Tão importante como anotar bem as informações, é a utilização destas para monitorar e alavancar a atividade.

O papel do consultor, um profissional especializado na área, é orientar o pecuarista nas tomadas de decisões, indicar tecnologias dentro da realidade da propriedade em busca de maior lucratividade, observando o melhor custo x benefício.

Dica 5: Avalie os resultados e planeje melhorias (PDCA)

É papel do pecuarista, juntamente com seu consultor, determinar as metas a serem alcançadas.

O planejamento da atividade deve ser realizado considerando a individualidade de cada propriedade e produtor. Por meio dos índices zootécnicos advindos da Escrituração Zootécnica, pode-se verificar se o plano de ação está sendo cumprido e se as metas preestabelecidas estão sendo alcançadas.

Esta etapa deve ocorrer com frequência e de forma contínua.

Por isso, é importante possuir um sistema de anotações e registros das atividades da propriedade. Isto permite que desvios no plano de ação ou algo que esteja prejudicando o alcance das metas seja rapidamente corrigidos.

O próximo passo é a ação corretiva em si, quando necessária. Esta etapa visa solucionar os problemas identificados na verificação ou decidir se as ações prosseguirão da mesma forma. Depois deste ponto, o ciclo PDCA (planejar, executar, verificar/checar e corrigir) se reinicia.

Os passos descritos são fundamentais, pois passamos a conduzir o negócio (pecuária de corte ou leite) como uma empresa, de modo a contribuir com as melhorias do processo, o que reflete diretamente no resultado econômico da atividade.

Vantagens de realizar o controle do gado

Seguem abaixo algumas vantagens em se realizar o controle do gado (Escrituração Zootécnica):

  • Possibilita identificar seus animais mais produtivos;
  • Permite identificar com rapidez problemas no rebanho;
  • Facilita o manejo (alimentar, reprodutivo, sanitário);
  • Reduz custos com alimentação devido à separação dos animais em lotes ou por categorias;
  • Permite determinar a melhor época para práticas sanitárias e reprodutivas;
  • Possibilita identificar animais ou famílias mais propensas a enfermidades/doenças;
  • Observação do histórico reprodutivo dos animais;
  • Orienta a seleção e descarte de animais; e
  • Agrega valor de venda aos animais, pois os mesmos possuem um histórico de desempenho.

“Se você não pode medir, você não pode gerenciar!”

Peter Drucker

Quer saber mais sobre esse e muitos outros assuntos do mundo do Agronegócio?

Acompanhe o blog Tecnologia no Campo.

Ordenha: tudo que você precisa saber para um processo eficiente
8 tecnologias que mudaram as atividades no campo
Agrishow 2019: o que esperar dessa edição do evento
MAIS PUBLICAÇÕES