Como utilizar o Manejo de resistência para melhorar sua lavoura

Manejo de resistência: entenda a sua importância para a agricultura

Um problema muito comum nas lavouras do Brasil são a presença de pragas, que podem gerar doenças e causar diversos danos às plantações. Alguns desses danos são a perda de produtividade e o aumento de custos para o produtor rural.

Para combater esses invasores, são utilizados recursos para o controle de pragas, como o uso de fungicidas e inseticidas nos plantios, por exemplo. Porém, pode acontecer de essas pragas criarem resistência a esses produtos, que acabam perdendo sua eficácia.

Portanto, realizar um correto manejo de resistência pode ajudar o produtor a não sofrer com esses prejuízos na lavoura. Para saber mais informações a respeito, continue a leitura do nosso artigo!

O que é o manejo de resistência?

Antes de saber o que é o manejo de resistência, precisamos entender o que é a resistência de pragas. Lembrando que esses invasores podem ser fungos, insetos, ácaros ou plantas daninhas.

Basicamente, pode acontecer de ser feita a aplicação repetitiva de um mesmo defensivo agrícola nas plantações, assim como o uso de subdoses e aplicações em épocas e condições inapropriadas. Com isso, pode haver o desenvolvimento das pragas, que passam a sobreviver aos efeitos desses produtos.

Assim, os defensivos usados para o controle desses invasores perdem seu efeito, e as pragas conseguem se reproduzir. Dessa forma, o manejo de resistência consiste em um conjunto de medidas adotadas, como a utilização de novas técnicas e produtos na lavoura, com o objetivo de evitar perdas no campo devido à resistência dessas pragas.

Contudo, para cada tipo de praga resistente, existe a melhor maneira de fazer esse manejo. Confira a seguir.

Principais tipos de manejo de resistência

No meio rural, diversas pragas podem criar resistência nas plantações. De acordo com dados do MAPA e da Embrapa, as principais pragas que atacam as lavouras no Brasil são: Lagarta Armigera, Broca do café, Mofo branco, Ácaros, Cochonilhas, Mosca das frutas, Ferrugem da soja, Mosca branca e Bicudo do algodoeiro. Confira abaixo como acontece a resistência e o manejo de plantas daninhas, insetos e fungos, muito comuns no campo.

Manejo de resistência de plantas daninhas

A resistência de plantas daninhas é um dos problemas que mais afetam a agricultura no mundo. Esse mal ocorre pela capacidade dessas pragas se adaptarem a diversos ambientes, sendo que os herbicidas fazem o papel de agentes de seleção, ou seja, permitem que as plantas sobrevivam e se reproduzam.

A ocorrência da resistência dessas pragas aos herbicidas, assim como a velocidade na sua dispersão, depende de vários fatores. Entre eles, estão os fatores genéticos, que dizem respeito às mutações e à genética da planta; os fatores bioecológicos, relacionados com as características do ciclo de vida das plantas; e os fatores agronômicos, que são ligados ao herbicida e ao manejo, que podem ser conduzidos de forma positiva ou negativa.

A resistência de plantas daninhas podem causar grandes perdas nas plantações. Para o seu controle, o método químico é o mais utilizado, pois é rápido, prático e eficiente, possibilitando o controle seletivo. Além disso, a introdução de novos herbicidas e métodos de controle também são utilizados após o aparecimento das plantas daninhas nas lavouras.

Manejo de resistência de insetos

Geralmente, a resistência de insetos acontece porque alguns desses invertebrados conseguem sobreviver à exposição de agentes de controle, como as plantas Bt e os inseticidas. Para o manejo de resistência de insetos, existem três grandes estratégias utilizadas no campo:

  • Moderação: usada para reduzir a seleção dos insetos no local, interrompendo o uso de determinado inseticida, por exemplo.
  • Saturação: reduz a presença de insetos resistentes na área, ou seja, há um aumento de doses de inseticidas.
  • Ataque múltiplo: envolve o uso de duas ou mais táticas de manejo para minimizar a seleção da resistência para o inseticida.

Para evitar a resistência de insetos na lavoura, no manejo, são utilizadas práticas como a dessecação antecipada, o uso de sementes certificadas, o tratamento das sementes, o controle de plantas daninhas e voluntárias, o monitoramento de pragas e o plantio de áreas de refúgio. Além disso, quando esse problema causa danos na plantação, são utilizados inseticidas químicos e o controle biológico.

Manejo de resistência de fungos

A resistência mais comum que os fungos criam, geralmente, são aos fungicidas. Portanto, uma série de doenças que acometem inúmeras plantações são resultantes de infecções por fungos.

Algumas medidas de controle para evitar a resistência de fungos na lavoura são: o uso de sementes sadias, assim como variedades resistentes nas plantações, a rotação de culturas, a adubação equilibrada, o controle químico com uso de fungicidas e o manejo da irrigação.

Além disso, para evitar a resistência à fungicidas, o Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Fungicidas — FRAC recomenda as seguintes estratégias de manejo:

  • Usar a rotação de fungicidas com mecanismos de ação distintos;
  • Utilizar o fungicida na época, dose e intervalos de aplicação recomendados na bula;
  • Incluir outros métodos de controle de doenças, como por exemplo a resistência genética, o controle cultural e biológico;
  • Consultar um Engenheiro Agrônomo para orientação sobre o manejo de resistência local. 

Qual a importância do manejo de resistência?

Quando adquirem resistência, as pragas podem causar consequências graves para a lavoura, como por exemplo perdas de tecnologia e de produtividade, além do aumento de custos. Além disso, pode haver aumento do uso de defensivos agrícolas, que pode levar a contaminações ambientais, desequilíbrio biológico e resíduos em alimentos.

Por fim, a resistência de plantas daninhas, insetos, fungos e outras pragas podem levar ao comprometimento total da lavoura e da propriedade, caso não seja realizado o manejo de forma correta.

Portanto, o manejo de resistência possibilita uma série de recursos para o produtor e as plantações, levando benefícios para a produção e evitando esses danos na lavoura, que podem ser drásticos. É importante ressaltar que um conhecimento sobre as pragas é fundamental para saber como manejar sua resistência da melhor forma.
Realizar um correto manejo de resistência traz benefícios para a lavoura e impede que pragas causem danos a sua propriedade. Agora que você já sabe como funciona o manejo de resistência, confira também nosso conteúdo sobre pragas na soja para deixar sua produção livre de doenças e prejuízos!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.