Compost barns: aumente a produção de leite da sua fazenda

Compost barns: aumente a produção de leite da sua fazenda

Sâmila Delprete | Tecnologia no Campo

Os Compost Barns são um tipo de instalação para confinamento das vacas em lactação. Apresenta menor custo de construção que outros modelos e está sendo implantado por produtores rurais brasileiros. Além de proporcionar aumento na produção, o método garante saúde e bem-estar aos animais.

Se você quer conhecer mais sobre essa tecnologia no campo, esse artigo foi feito para você.

  • O que são Compost Barns?
  • Como funcionam os Compost Barns?
  • Vantagens dos Compost Barns
  • Projeto de Compost Barns
  • Cuidados a se tomar
Vacas compost barns

O que são Compost Barns?

Compost Barn é a denominação de um espaço físico coberto. Neste local as vacas leiteiras podem descansar durante todo o ano e ocorre a compostagem do material da cama. A tradução mais literal do termo é celeiro de compostagem.

Este tipo de instalação para vacas leiteiras começou a ser utilizado na década de 1980, nos Estados Unidos. Já no Brasil, a adoção começou a ocorrer nos últimos anos, a partir de 2011.

No início, apenas grandes fazendas aplicavam esta forma de manejo. Contudo, aos poucos produtores menores passaram a adotar o sistema e obter bons resultados.

Nos sistemas tradicionais de criação, as vacas não possuem lugar apropriado para o descanso. Os Compost Barns garantem esse espaço seco e ventilado durante todo o ano. Também possibilitam conforto por meio da “cama” de serragem, permitindo um lugar tranquilo para a ruminação.

Porém, é necessário observar o período para a troca da cobertura, que garante as condições sanitárias.

Como funcionam os Compost Barns?

Como dito, os Compost Barns são um sistema de confinamento alternativo que visa propiciar bem-estar às vacas, e, assim, melhorar os índices produtividade do rebanho.

O diferencial deste sistema é que ocorre, ao longo do tempo, a compostagem do material da cama juntamente aos dejetos dos animais. Neste processo, há produção de dióxido de carbono (CO2), água e calor pela fermentação aeróbica (com presença de oxigênio).

O oxigênio necessário para a compostagem é incrementado ao sistema pela aeração diária, por meio do processo de revirar a cama. Os níveis adequados de água, oxigênio e temperatura são fundamentais para o sucesso da compostagem, assim como a atividade dos microrganismos, que produzem calor e reduzem a população de outros microrganismos patogênicos. Para isso, a temperatura da cama deve estar entre 54 e 65 ºC a 30 cm da superfície.

A compostagem produzida, poderá por sua vez, ser utilizada na geração de energia ou como biofertilizante.

compost barns

Vantagens dos Compost Barns

Os Compost Barns podem ser empregados em sistema de criação confinado ou semiconfinado. Entre as principais vantagens estão:

  • Propicia maior conforto térmico aos animais, pela cobertura de serragem;
  • Garante condições sanitárias mais saudáveis;
  • Melhor qualidade do leite, por diminuir a contaminação dos tetos, o que possibilita Contagem de Células Somáticas (CCS) mais baixa;
  • Colabora com a redução dos problemas de casco;
  • Aumento da produção de leite;
  • Aumento na detecção de cio;
  • Diminui a incidência de insetos;
  • É uma prática adequada às atuais exigências de bem-estar animal;
  • Aproveitamento da cama como adubo em lavouras.

Projeto de Compost Barns

De modo geral, qualquer instalação precisa promover condições de higiene, sanidade e eficiência no manejo. Deve ter simplicidade, para que os custos não sejam altos, mas também deve permitir que os animais possam explorar todo seu potencial genético.

Os Compost Barns são uma instalação para vacas, com uma pista de alimentação feita com corredor de concreto, cama grande para vários animais e uma cobertura ventilada.

Escolha do terreno

O local para implantação do Compost Barn precisa ter leve inclinação para impedir o escoamento de água para dentro do galpão. O galpão deve estar em local mais elevado, para que não entre água da chuva.  

Outro ponto extremamente importante que precisa ser levado em conta é a distância até outras construções, como silos, para que a renovação do ar não seja prejudicada.

Quanto à orientação em relação ao Sol, o galpão deve ser construído no sentido leste-oeste visando reduzir raios solares dentro da instalação.  

Tamanho do galpão e materiais para a cama  

O tamanho do galpão é dimensionado conforme a quantidade de animais a serem instalados. Para bom conforto e distribuição dos animais, recomenda-se de 7,5 m² a 20,0 m² por vaca para que todas tenham espaço para andar até o bebedouro ou cocho e possam deitar todas ao mesmo tempo, caso desejem.

Conforme Adriano Seddon, responsável pela introdução dos Compost Barns no Brasil, o tamanho da cama deve ser proporcional à umidade que a vaca deixa nela.

  • Uma vaca de 40L de leite por dia produz por volta de 70kg de esterco diariamente, deixando 60 kg de umidade entre o corredor de alimentação e a cama.
  • Uma vaca de 25L de leite por dia produz cerca de 50 kg de esterco diariamente, deixando aproximadamente 45L de água entre o corredor de alimentação e a cama.

De maneira geral, é recomendado 12 m² de cama/vaca. Esta medida propiciará que a cama esteja sempre mais seca. Assim, o produtor rural terá tempo de trabalhar a compostagem.

A cama é composta, geralmente, por maravalha ou serragem. Todavia, outros materiais podem ser incorporados para auxiliar no processo de compostagem, tais como: polpa de citros, casca de soja, casca de café, casca de arroz e sabugo de milho triturado.

Os materiais da cama devem ser revolvidos duas vezes ao dia, no mínimo. Assim, promove-se a incorporação da urina e das fezes. Os dejetos incorporados ao material da cama, proporcionam elevação da temperatura que ocorre por meio da deterioração da matéria orgânica.

Localização dos bebedouros

Os bebedouros devem ser instalados contra a parede de concreto que divide o corredor de alimentação da área do corredor de compostagem.

Não se deve instalar os bebedouros na área da cama para prevenir que a mesma seja molhada. Além disto, fica inviável pois a altura do bebedouro precisaria ser adequada de acordo com a profundidade das camas, o que aumentaria o custo com obras.

Corredor de serviço

O corredor de serviço é utilizado para retirar as vacas para a ordenha e manejo diário. Este corredor deve ter ao menos 2,5 m de largura.

Corredor de alimentação

Todo barracão de Compost Barn tem uma pista de alimentação, que é o local que o trator passa para depositar a comida das vacas. Existem dois tipos de corredores: o corredor central e o corredor lateral.

Corredor central

No corredor central temos cochos dos dois lados, onde a dieta é fornecida do lado direito e esquerdo. Deve-se projetar em 65 a 75 cm lineares de cocho por animal e a pista central deve ter entre 5,5 m e 6 m, já contando a área que será depositada a alimentação das vacas.

Corredor lateral

O corredor lateral funciona da mesma maneira que o corredor central, mas a dieta é fornecida apenas de um dos lados. Deve-se projetar entre 3 m e 3,5 m de largura. E, da mesma maneira que o outro, fornecer 65 a 75 cm lineares de cocho por animal.

Caso o produtor escolha o corredor lateral, o barracão/galpão ficará mais estreito e comprido, o que permite melhor circulação de ar no seu interior.

Parede para segurar a cama

A parede que segura a cama dentro do galpão deve ter pelo menos 60 cm de profundidade. Assim, deve ser mensurada e confeccionada com material que aguente o peso da cama que será colocada.

O chão abaixo da cama não precisa ser concretado, podendo portanto, ser terra batida.

Telhado

Para construção do telhado, o material não pode reter muito calor. A inclinação deve ser de pelo menos 30% e com lanternim coberto, para que haja circulação de ar dentro do galpão. Essa circulação auxiliará na dissipação do calor gerado pela compostagem da cama e pelo corpo das vacas.

Ventiladores

O calor liberado pela compostagem é um dos maiores problemas do sistema, pois a temperatura pode chegar até 65 ºC por baixo da superfície da cama. Assim, quando a cama é revirada, grande quantidade de calor é liberada no ambiente, elevando a temperatura. Por esse motivo a utilização de ventiladores é essencial nesse sistema, porque controla a temperatura e ajuda na secagem da cama para quando as vacas retornarem da sala de ordenha.   

Ainda, devido à eliminação da poeira e de pequenas partículas, que podem promover problemas respiratórios, os ventiladores melhoram a saúde geral das vacas.

Quanto custa um Compost Barn?

Em relação ao investimento necessário para instalação dos Compost Barns, o valor pode variar pois há flutuação dos preços das matérias-primas (concreto, ferro, madeira, material da cama, etc.). No entanto, algumas empresas vendem o serviço de construção por algo em torno de R$ 3500,00 / vaca. O investimento é alto, mas traz um bom retorno para:

  • Produção de leite
  • Sanidade do rebanho
  • Reprodução

Na teoria, o valor do Compost Barn é menor ao compará-lo com outras instalações para gado leiteiro. Entretanto, a disponibilidade do material utilizado para cama e seu preço pode tornar o sistema mais caro. Em virtude disso, o produtor deve sempre buscar produtos mais baratos, que estejam disponíveis na sua região.

Cuidados a se tomar

Como foi visto no decorrer deste texto, os Compost Barns são uma forma de manejo disponível para o desenvolvimento da pecuária leiteira. Apresenta ótimos resultados.

Porém, vale informar que como todo sistema de confinamento, exige alguns cuidados e as orientações técnicas devem ser observadas.

É necessário destacar que o sucesso do sistema está baseado no manejo da cama:

  • A cama deve ser revolvida pelo menos duas vezes ao dia. Geralmente, o revolvimento é realizado nos horários das ordenhas;
  • Repor a cama mensalmente ou sempre que necessário;
  • Manter a temperatura correta da cama;
  • Manter a umidade correta da cama;
  • Evitar a superlotação do local;
  • Caso a cama não seja manejada corretamente, podem ocorrer situações indesejáveis, resultando em vacas sujas e aumento de mastite clínica.

Para escolha do local de implantação, o mesmo deve ter  boa ventilação natural, relevo que permita a drenagem da água em períodos chuvosos e deve-se observar o deslocamento do Sol.

Descubra quais capins ensilar e suas vantagens nutricionais
8 tecnologias que mudaram as atividades no campo
Descubra como produzir silagem de milho com qualidade
MAIS PUBLICAÇÕES
2018-11-05T00:03:33+00:00

About the Author:

Sâmila Esteves Delprete
Zootecnista, Mestra em Ciências Veterinárias e Técnica em Agropecuária

3 Comments

  1. Henrique 02/06/2018 at 09:17 - Reply

    Seria bacana um post mais específico sobre a montagem do galpão e a cama de composto orgânico.

    • Tecnologia no Campo
      Tecnologia no Campo 07/06/2018 at 01:30 - Reply

      Obrigado pelo feedback, Henrique!

      A ideia é realmente muito boa! Vamos providenciar jájá esse conteúdo.

  2. Luciano Bertolani Filho 29/08/2018 at 12:35 - Reply

    Qual a opinião sobre o compost em substituição as pastagens?

Leave A Comment