Buva ocupando a lavoura

Buva: dicas para acabar com essa planta daninha

Se você é produtor rural, sabe que o aparecimento da buva na lavoura pode ser um sinal de alerta. Trata-se de uma planta daninha que pode afetar o desenvolvimento da soja e de outras culturas, assim, prejudicando a produtividade da safra.

Além de se alastrar rapidamente, a buva é uma planta invasora que apresenta resistência a diversos herbicidas. Por isso, é necessário fazer o manejo eficiente para evitar que essa praga afete a produção. Continue a leitura para saber como evitá-la!

O que são plantas daninhas?

As plantas daninhas são espécies que prejudicam a atividade humana na lavoura. A sua aparição pode interferir no desenvolvimento de culturas como: milho, algodão, café, soja, entre outras. No caso de aparecimento da buva, ela pode afetar o cultivo de feijão, girassol, soja, cana de açúcar, arroz e algodão.

No entanto, o seu manejo não é tão simples. Isso porque as espécies podem se alastrar rapidamente, e se adaptam a diferentes tipos de ambientes. As plantas daninhas também podem reduzir a qualidade do produto final e das sementes, por isso, é necessário que o produtor esteja preparado para realizar o controle e manejo dessa praga.

Características da buva e suas espécies

A buva (Conyza bonariensis) é uma planta daninha classificada como invasora, que pode ser um problema para diferentes lavouras. A sua aparição é muito frequente nas regiões Sul e Centro-Oeste do Brasil.

Por se alastrar muito rapidamente, a buva prejudica diretamente o desenvolvimento da planta, afetando a qualidade do produto final. Veja, a seguir, algumas características da buva:

  • É uma planta daninha capaz de produzir entre 100.000 e 200.000 sementes;
  • Podem ser facilmente disseminadas através do vento;
  • A buva pertence à família Asteraceae;
  • Podem chegar até 2,5 m de altura;
  • São resistentes às condições de seca.

Além disso, existem diferentes espécies de buva, que apresentam diferenças na inflorescência. Saiba quais são elas:

  • Conyza canadenses: inflorescência na forma piramidal, com baixa densidade e sem pelos na haste principal;
  • Conyza sumatrensis: inflorescência na forma piramidal, com alta densidade de pelos na haste principal;
  • Conyza bonariensis: apresentam inflorescência na ponta dos ramos.

Como prevenir o aparecimento da buva?

Muitas vezes, os cuidados para a prevenção do aparecimento das plantas daninhas passam despercebidos pelos produtores. No entanto, é importante ressaltar que o aparecimento de plantas invasoras como a buva, pode causar danos de até 80% nas lavouras.

O controle químico é um tipo de cuidado que pode ajudar a prevenir o aparecimento de plantas daninhas. Com o uso de diferentes tipos de herbicidas, a buva não se torna resistente ao produto, tornando-se mais fácil de eliminar.

Além disso, a rotação de culturas também pode ajudar a controlar pragas e doenças na lavoura. A técnica consiste na alternância de cultivos na mesma área, e pode quebrar o ciclo de desenvolvimento da buva.

Como fazer o manejo da buva?

A melhor forma de eliminar a buva é adotando práticas de manejo nas áreas que apresentarem biótipos de plantas daninhas resistentes. Veja quais são as ações recomendadas:

  • Monitorar a lavoura para destruir plantas suspeitas de resistência. Além da aplicação do herbicida, elas devem ser arrancadas, para evitar a disseminação das sementes resistentes;
  • Realizar a limpeza das máquinas e dos equipamentos com frequência. Isso porque o equipamento que for utilizado em uma área infestada pode disseminar as plantas invasoras;
  • Evitar o uso de herbicidas com o mesmo mecanismo de ação na área;
  • Realizar a rotação de culturas, evitando a necessidade do uso muito frequente de herbicidas.

O manejo da buva deve ser realizado em diferentes épocas do ano, para garantir melhores resultados. Veja a seguir:

Uso de herbicidas

Na cultura do trigo, os herbicidas utilizados são o iodosulfurom, 2,4-0 e o metsulfurom. Eles são capazes de controlar a buva, mas é necessário que o produtor siga as recomendações de uso com relação ao estádio da planta, período de aplicação e a dosagem correta.

Recomenda-se que o uso do metsulfurom aconteça com pelo menos 60 dias de antecedência da semeadura do milho ou da soja. Isso porque a falta de umidade ou a temperatura muito baixa pode reduzir a eficácia do produto no solo.

Manejo no inverno

Durante o inverno, o manejo deve ser realizado para facilitar o controle de pragas na pré-semeadura de culturas específicas de verão.

Como evitar que a buva crie resistência aos herbicidas

Para evitar que a buva se torne resistente, é necessário que o produtor conheça o histórico da área e siga a recomendação adequada para a aplicação dos herbicidas. Além disso, as aplicações em pós-emergência sobre plantas pequenas também ajudam no controle.

A buva está entre as plantas daninhas que mais causam prejuízos às lavouras, principalmente no cultivo de soja. Por isso, além do uso de herbicidas, as técnicas de manejo são indispensáveis para evitar que essa planta invasora cause prejuízos ao cultivo. É importante, também, que haja conhecimento da biologia da planta daninha antes da realização do manejo. Isso fará com que as práticas sejam mais eficientes!

Agora que você já sabe da importância da realização do manejo eficiente para evitar que a buva prejudique a lavoura, aproveite para ler também o nosso artigo “pragas na soja: quais são e como controlá-las de forma eficaz”. As pragas podem ser um grande problema no cultivo da soja, por isso, os produtores devem conhecer os métodos de controle para evitar que elas prejudiquem a produtividade e a qualidade final do produto. Clique aqui para conferir o conteúdo completo!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.