Helicópteros para pulverização: como os helicópteros agrícolas podem auxiliar os produtores rurais na pulverização

Helicópteros para pulverização: como os helicópteros agrícolas podem auxiliar os produtores rurais na pulverização

Tecnologia no Campo

Não são só os drones pulverizadores que podem auxiliar os produtores rurais com a pulverização agrícola. Os helicópteros para pulverização já foram regulamentados em parte do século passado, mas passaram problemas com o seu uso.

Mesmo assim, desde 2016, alguns modelos de helicópteros agrícolas já foram regulamentados aqui no Brasil e estão disponíveis para uso em diversas propriedades para os produtores antenados que querem ou precisam de usar a pulverização aérea.

Por isso nós, do Tecnologia no Campo, fizemos esse artigo falando mais sobre esses helicópteros e sobre suas vantagens para o agricultor.

helicoptero para pulverização

Fonte: centralhelicopters.co.nz

Helicópteros para pulverização

Desde 2016, o modelo de helicóptero Robinson R44, com um kit especial acoplado em sua parte inferior, foi homologado pela ANAC para a prestação do serviço de pulverização agrícola.

O uso de helicópteros para pulverização serve como opção para os agricultores que pretendem investir em pulverizações aéreas precisas e em locais de difícil acesso.

O helicóptero consegue voar mais baixo e mais lentamente, conseguindo ser mais preciso do que os aviões agrícolas.

A não dependência de pistas agrícolas também pode ser vista como uma vantagem do uso dos helicópteros. Propriedades com pistas distantes podem ter um aumento considerável dos custos de pulverização pela perda de combustível.

Geralmente, a operação com o helicóptero de pulverizador é feita com a ajuda de um caminhão com um tanque de combustível, facilitando a reposição dos defensivos.

Vantagens dos helicópteros para pulverização

Precisão da aplicação

Essa vantagem vale para os drones para pulverização. Com o uso de tecnologias avançadas, é possível mapear muito bem onde a pulverização será feita e ser bem preciso em casos necessários.

A precisão evita desperdícios com defensivos e ajuda na sustentabilidade na agricultura.

Aplicação em áreas de difícil acesso

As tecnologias de pulverização aérea permitem ao produtor a pulverização de áreas de muito difícil acesso, principalmente com a utilização de drones pulverizadores.

Áreas irrigadas, por exemplo, são impossíveis de serem pulverizadas por pulverizadores terrestres, sendo obrigatório o uso de pulverizadores aéreos.

Na cultura do café, por exemplo, onde os pés podem chegar a mais de dois metros e os terrenos têm um declive considerável, o uso de pulverizadores de arrasto também fica inviabilizado. No caso de declive muito acentuado, até o uso de aviões agrícolas pode ser impossibilitado, sendo necessário o uso de drones ou a pulverização manual.

Menor derrubada de grãos e compactação do solo (amassamento)

O amassamento causado com a pulverização terrestre é um dos grandes problemas enfrentados pelos agricultores que usam essas máquinas. Podendo chegar a perdas de mais de 5% da produção da lavoura, impactam diretamente na produtividade.

Pensando nisso, o uso de pulverizadores aéreos pode ser uma saída interessante para os produtores. Segundo estudos de Cinthia Costa, pela Embrapa, na lavoura de soja o uso de pulverizadores aéreos se paga ao considerarmos a perda por derrubada de grãos e compactação do solo.

Outras formas de pulverização aérea

Aviões Agrícolas

O pulverizador aéreo mais comum ainda é o avião para pulverização. Principalmente pela rapidez de pulverização, essa máquina acaba compensando bastante para grandes propriedades.

Além de ser um meio de pulverização totalmente regulamentado, consegue pulverizador de maneira rápida, uniforme e flexível, pulverizando terrenos de difícil acesso.

Ficou interessado na pulverização aérea? Fale conosco!

Drones para pulverização

A pulverização com drones é semelhante ao uso de pulverizadores de arrasto, mas podem ser feitas com ou sem o auxílio de um controlador.

Primeiramente é feita a avaliação do alvo e o estágio da cultura. Em seguida, define-se qual o bico será utilizado, com a forma do jato e a vazão adequada.

Em seguida, o preparo da calda é realizado da mesma forma, respeitando a ordem de adição dos produtos no tanque de acordo com suas formulações e as referidas concentrações.

Um dos primeiros drones lançados para esta finalidade foi o Agras MG-1, da empresa chinesa DJI. Este drone é capaz de pulverizar de 3 a 4 hectares por hora de serviço.

Quer saber mais sobre como funcionam os drones para pulverização? Fale conosco!

Ordenha: tudo que você precisa saber para um processo eficiente
8 tecnologias que mudaram as atividades no campo
Agrishow 2019: o que esperar dessa edição do evento
MAIS PUBLICAÇÕES