Wagyu: saiba tudo sobre essa raça

Wagyu: saiba tudo sobre essa raça

Tecnologia no Campo

Introduzida no Brasil há 25 anos pela empresa Yakult, a raça Wagyu é uma raça de gado japonesa que está conquistando o Brasil. Wagyu, que significa gado (gyu) do Japão (wa), é uma das carnes mais valorizadas no mercado gastronômico internacional. Com um aroma único, textura macia e suculenta, é considerada como a carne mais cara e saborosa do mundo. O seu preço pode variar de R$300,00 a R$1.450,00 o quilo.

No território brasileiro, a raça ainda é pouco explorada, por isso, criar a raça no Brasil pode ser um ótimo investimento para pecuaristas, uma vez que a demanda pela carne é muito maior do que a oferta.

E nessa tendência gourmet pela qual o mercado gastronômico está passando, faz cria uma busca muito maior por novos tipos de cortes e sabores, sem se importar muito com o valor a ser investido na experiência culinária. Aqui você vai encontrar:

  • História do Wagyu
  • Wagyu no Brasil
  • Wagyu no Mundo
  • Vantagens do Wagyu

História do Wagyu

A raça é, na verdade, milenar. Já no século II, no Japão, o Wagyu tinha como função trabalhar como tração animal nas plantações de arroz. Foi introduzido a partir da Ásia, mas com o terreno montanhoso da região de Shikoku, a importação de gado era muito restrita e lenta.

Como as regiões tinham características geográficas bastante montanhosas, a longo prazo, a criação do Wagyu foi se isolando, o que resultou em diferentes tipos de raça. Apesar dessas vertentes, a qualidade da carne permanece a mesma até hoje.

A partir da chegada dos estrangeiros no país oriental, muito tempo depois, os restaurantes começaram a notar que a carne do Wagyu era muito apreciada pelos turistas e decidiram investir em sua produção.

Também conhecido como Kobe beef, no Japão, a raça recebe massagem, tomam cerveja e até mesmo saquê para manter a qualidade da carne. O Wagyu é conhecido como a Louis Vuitton das carnes e sua principal peculiaridade é o alto nível de marmoreio – a gordura intramuscular -. Toda essa rigidez e cuidado no processo de criação do corte reflete diretamente no preço pago pelo consumidor.

agricultura familiar

Atualmente, existem duas principais raças do bovino japonês: o Black Wagyu e o Red Wagyu, ambos com a mesma qualidade. Enquanto o Black apresenta um maior marmoreio em sua carne, a carcaçado Red tem um melhor rendimento. Por incrível que pareça, um produtor chega a ter um lucro de cerca de R$8 mil reais por carcaça.

Wagyu no Brasil

Sem dúvidas, o Wagyu conquistou o mercado de carnes brasileiro. As primeiras criações foram trazidas pela empresa japonesa Yakult, no interior de São Paulo, há cerca de 25 anos. Foi a forma que Teruo Wakabayashi, primeiro presidente da filial no Brasil, decidiu contribuir com o país.

Introduzir a raça em território verde e amarelo foi uma forma de contribuir com o melhoramento genético da carne brasileira. Entretanto, esse foi um processo lento, visto que a empresa passou 10 anos investindo na genética animal para, então, abrir espaço para que novos produtores pudessem adquirir seus animais.

Devido ao custo e as condições estruturais do Brasil, o manejo do Wagyu se dá de outras maneiras. Apesar de não seguir os processos do Japão, a qualidade e rigidez nos padrões de criação da raça seguem os mesmos.

Para atingir o marmoreio adequado da carne, há um cuidado mesmo antes do nascimento do bezerro. Aqui no Brasil, por exemplo, eles não recebem massagem, se alimentam de cerveja ou saquê, mas possuem uma dieta equilibrada e um tempo certo para ficar no pasto, entrar em isolamento e atingir o grau perfeito de marmoreio.

A produção de Wagyu no Brasil ainda é mínima em relação a demanda dos restaurantes por todo o país. A Yakult, por exemplo abate cerca de 50 cabeças por ano. Isso é muito pouco se comparado com outras raças.

Essa produção não é suficiente para a demanda interna. Isso obriga restaurantes e casas de carnes especializadas a investirem na importação do produto. Em geral, os cortes importados vêm da Austrália, Uruguai e até da Argentina.

Uma alternativa para os restaurantes brasileiros é servir a carne 100% apenas em ocasiões especiais. Alguns estabelecimentos, como, por exemplo, o Rubaiyat, oferece o Wagyu cruzado com a raça Brangus ao longo do ano. O cruzamento é uma alternativa também para familiarizar o consumidor local, visto que o corte cruzado tende a ter um preço um pouco mais baixo.

É possível tirar cerca de 30kg de contrafilé um animal com aproximadamente 700kg. A picanha e o contrafilé são as carnes mais procuradas no mercado e podem sair por até R$350,00 no Brasil. No Japão, o quilo da carne é facilmente vendido por R$1.000,00.

Wagyu no Mundo

Se, à primeira vista, a raça Wagyu não desperta nenhuma surpresa ou encantamento, sendo, inclusive, menor do que outras raças, no paladar ela é inconfundível. Alguns dizem que ela é superestimada. Outros, que é a melhor carne produzida.

Um fato que não deixa dúvidas é que Wagyu é a carne mais cara do mundo tem se espalhado pelos 5 continentes. Nos EUA, por exemplo, você pode adquirir, com U$140,00 um pouco mais que 100 gramas de carne. Se for no Japão, com o mesmo valor, você leva 56,7 gramas.

Vantagens do Wagyu

Algumas das vantagens de produzir a raça Wagyu já podem ser identificadas até aqui. A demanda é grande e cada vez mais crescente em território brasileiro e, apesar dos altos custos de produção e dos minuciosos processos de criação, os lucros por cabeças são atrativos muito interessantes.

Uma dica dos produtores para quem está começando é investir, inicialmente, em embriões, pois é uma forma de iniciar uma criação pura. Entretanto, muitos pecuaristas estão investindo nos cruzamentos das raças, já que o Wagyu é o que mais transmite marmoreio, fazendo com que a carne seja mais macia e saborosa.

O Brasil ainda carece de animais puros, mas trabalhar com os cruzamentos é uma boa oportunidade para quem quer iniciar o manejo com um pouco menos de investimento e acrescentar muita qualidade a carne. A vantagem da raça é que ela pode ser facilmente cruzada com outros tipos e obter um resultado de extrema qualidade.

Em pouco tempo, a procura por Wagyu irá aumentar vertiginosamente. Os produtores têm se mostrado satisfeitos com os resultados da criação e os lucros obtidos. A criação de Wagyu será um diferencial e tanto para o mercado de criação bovina.

Ordenha: tudo que você precisa saber para um processo eficiente
8 tecnologias que mudaram as atividades no campo
Agrishow 2019: o que esperar dessa edição do evento
MAIS PUBLICAÇÕES