Roubo de gado

Roubo de gado: como lidar com essa prática criminosa?

Os índices de roubo de gado no Brasil vêm aumentando nos últimos anos, o que é motivo de preocupação, medo e revolta em produtores rurais de todo o país.

É importante ter em mente, então, que o prejuízo financeiro é alarmante com o furto desses animais de grande valor monetário. Isso pode ser um golpe fatal para pequenos produtores. Além disso, as vítimas relatam que a prática é violenta, e que muitas vezes os produtores são amarrados e agredidos no ato do crime.

A prática é comumente feita por funcionários contratados, falsos caseiros, gangues e quadrilhas especializadas, e as formas de furto vem crescendo das formas mais variadas possíveis. Continue sua leitura para saber um pouco mais sobre o assunto!

Roubo de gado: qual o conceito deste ato ilícito?

Fazendeiros reclamam da baixa segurança policial e fiscalização precária em suas propriedades. Localizadas nos centros rurais, elas geralmente se encontram mais isoladas e distantes dos centros urbanos. Dessa forma, o crime é considerado complexo e pauta de diversas discussões de representantes do agronegócio.

A prática do roubo de gado está descrita no parágrafo 6º, do art. 155 do Código Penal,  introduzido pela Lei 13.330/2016, intitulada com o nome Abigeato.

Crime de Abigeato é o nome dado ao crime de furto de gado, mesmo de animais abatidos, principalmente rebanhos bovinos e equinos. O código inclui, também, animais domésticos, como de fazendas e sítios. Assim, o furto de animais selvagens não está associado a esse tipo penal.

O termo furto, por sua vez, diz sobre “subtrair, para si ou para outrem, coisa alheia móvel”. (Código Penal, Art. 155)

O crime, então, possui pena de reclusão de 2 a 5 anos. A legislação justifica a penalidade maior da prática pela facilidade que o autor encontra, muitas vezes, para praticar o crime. Dentro dessas facilidades, podemos citar a pouca vigilância nas propriedades rurais e a escuridão nos atos praticados pela noite, que propiciam, ao agente, escapar e ser impune.

Consequências da prática do roubo de gado

Produtores rurais relatam medo e preocupação com a segurança de suas famílias e propriedades. Além disso, o prejuízo financeiro causado pelo Crime de Abigeato também vem sendo destaque.

De acordo com a Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul, o prejuízo com a prática ultrapassou R$70 milhões de reais aos produtores do estado. Em 2017, a região de Uberaba, em Minas Gerais, contou com a estimativa de uma invasão em fazenda a cada dois dias.

Em Goiás, casos como o furto na fazenda de Ayrton Pereira Santos ganharam destaque, com prejuízo de R$120 mil reais. Devido a casos como esse na região, foi criada a primeira Delegacia de Repressão aos Crimes Rurais, o que reduziu o número de furtos em mais de 60% em todo o estado.

Diante desse cenário, uma reclamação frequente dos produtores rurais é de que essa prática não tem a atenção necessária da polícia militar e rodoviária, com investigações e fiscalizações precárias. Já a polícia relata a falta de estrutura para uma atuação suficiente e uma significativa resolução de casos.

Como prevenir seu rebanho do roubo de gado?

Para evitar que a prática desse crime ocorra, é preciso atentar-se à uma boa prevenção. Segue abaixo algumas formas de incorporar isso para a proteção do seu gado:

Crie uma rede de comunicação 

Converse com a comunidade, outros produtores e especialistas para ficar inteirado e ciente dos riscos e das melhores maneiras de evitar o crime. Além disso, procure saber como e qual a frequência que essa prática ocorre na região em que você vive. 

Você também pode compartilhar experiências, principalmente com fazendeiros que já passaram por essa situação, e criar comitês na comunidade para abordar esse tema.

Tenha um bom relacionamento com a Polícia Militar 

Procure formas de contribuir com o trabalho dos policiais militares. É importante que você faça seu papel e os mantenha a par de suas experiências e da percepção de atitudes suspeitas. Da mesma maneira, exija que fiscalizações e prevenções sejam feitas para maior segurança de todos.

Invista em segurança

Para investir em segurança na sua propriedade rural, você pode usufruir da tecnologia. Atualmente, existem alguns recursos que podem te ajudar a manter sua propriedade protegida: uma gama de alarmes, aplicativos para celular, câmeras e chip para rastreamento vem surgindo nos mercados. 

Além disso, a contratação de profissionais recomendados e com bom histórico profissional também é importante para a proteção do seu gado. Por fim, a cerca elétrica sempre é uma opção válida para impedir que invasões sejam feitas na propriedade. Confira, aqui, 7 dicas para manter sua fazenda segura.

O roubo de gado (Abigeato) vem desanimando muitos produtores rurais, trazendo consequências emocionais e financeiras para fazendeiros de todo o país. Para acabar com essa prática, é necessário que produtores e órgãos de proteção se unam para um trabalho complementar e eficaz.

Para deixar seu gado protegido, mantenha-se sempre informado e invista em segurança e equipamentos de boa qualidade. Sendo assim, não deixe de acompanhar nossos conteúdos e leia também nosso artigo sobre cerca elétrica rural para deixar sua propriedade mais segura contra esse tipo de crime!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.