Pastejo rotacionado

Pastejo rotacionado: entenda o conceito dessa técnica tão importante no campo!

O objetivo da agropecuária no Brasil é atingir altos patamares, no entanto, ainda faltam alguns fatores que precisam ser alcançados. Um desses fatores, portanto, é o controle da lotação de animais por hectare. 

Atualmente, a média comum de lotação é de 1 animal por hectare, e o que temos a alcançar é de até 15! Um número bem alto em comparação ao que temos atualmente, não concorda? 

Isso pode ser atingido, de forma a maximizar a produção. Mas, para que seja possível, uma das técnicas a ser implementada é o pastejo rotacionado.

Se você ficou interessado por este método peculiar de pastejo para seus animais, continue esta leitura. Entenda, aqui, o conceito do pastejo rotacionado, os seus principais benefícios, uma comparação entre outro método de pastejo e como implementá-lo de forma eficaz!

O que é pastejo rotacionado?

O pastejo rotacionado é baseado na divisão de uma área de pastagem em piquetes, que são alternados em períodos de pastejo e descanso dos animais. Dessa forma, é possível fornecer alimento constante, durante o ano todo, para o rebanho. Entretanto, esta é uma técnica que requer adaptabilidade por parte do produtor e de sua produção. Isso, pois, o pecuarista necessitará alterar diversos fatores em sua propriedade.

Por exemplo, algo a ser identificado, primeiramente, é uma forma de aumentar o rendimento da produção de forragem. Isto é, deve-se produzir mais forragem em uma área menor, de modo a disponibilizar o alimento necessário para os animais em períodos em que não é possível o pastejo (como, por exemplo, na amamentação de bezerros).

Porém, ao utilizar a técnica de pastejo rotacionado, o produtor consegue ter um maior controle sobre o estoque de forragem disponível. Isso, por sua vez, é capaz de otimizar sua colheita e o controle do consumo de alimento pelo animal.

Inclusive, é o que aponta o zootecnista Diogo Rodrigues:

“Do ponto de vista de maior controle e eficiência na produção e na colheita da forrageira, na prática o pastejo rotacionado tem se mostrado como a melhor alternativa. […] É comum observar em áreas em que se adota largas extensões de pastejo contínuo em que os animais pastejam em excesso em determinadas áreas e em outras áreas eles não pastejam. Isso causa uma grande desuniformidade do pasto, aumenta as perdas de produção e como não se tem o controle eficiente desta produção e desta colheita da forrageira, isso acaba inclusive afetando a taxa de lotação dessas áreas”.

Principais benefícios do pastejo rotacionado

O pastejo rotacionado proporciona, além do benefício já citado anteriormente, muitos outros. Aqui, citaremos os principais. Veja a seguir: 

  • Reduz as perdas de pastagem que ocorrem por conta do pisoteio excessivo dos animais; 
  • É capaz de proporcionar uma melhor recuperação para as plantas forrageiras, que crescem com mais vigor após o período de descanso. Esse pode ser considerado um benefício “em dobro”, pois as plantas que melhor se recuperam são mais nutritivas e resistentes aos períodos de seca; 
  • Pastejo mais uniforme; 
  • Melhor distribuição dos excrementos dos animais na pastagem, melhorando as condições físicas e biológicas do solo; 
  • Reduz a chance do solo ser infestado por plantas invasoras e garante a permanência das plantas preferidas pelo rebanho; 
  • Aumenta a vida útil da pastagem, não sendo necessário realizar práticas de recuperação dos pastos (que são bastante caras).

Pastejo rotacionado X pastejo contínuo

As duas técnicas (tanto o pastejo rotacionado quanto o pastejo contínuo) são as mais comuns de serem implementadas no campo, e cada uma possui suas particularidades. Neste tópico, iremos abordar as maiores diferenças entre elas. 

O pastejo contínuo consiste na permanência dos animais numa mesma área, com pouca ou quase nenhuma subdivisão, sem período de descanso. Isso força, então, a planta forrageira e faz com que ela se degrade muito mais rápido. Trata-se, portanto, de um método de pastejo dificilmente controlado pelo produtor, mas que tem grande potencial de aumento de produtividade se for realizado da forma correta.

Portanto, o valor de implementação do pastejo contínuo é, na maioria das vezes, menor que no pastejo rotacionado. Isso porque não é necessário o alocamento de piquetes na propriedade, nem de um sistema de controle do gado que circulará naquela área.

Além disso, há o valor dos animais que normalmente são comprados quando é implementado o pastejo rotacionado. Então, é certo dizer que o investimento necessário para realizar o pastejo rotacionado é maior que para o pastejo contínuo.

Também, enquanto que no pastejo contínuo o produtor deixa os animais no pasto durante um longo período de tempo, no pastejo rotacionado há um rodízio de animais. Ele é feito, por sua vez, em um conjunto de até quatro pastos diferentes. Nele, é possível deixar até 4 ou 5 piquetes, onde os animais rodam em um pasto diferente por dia — em um modelo mais sofisticado.

5 dicas de implementação para o pastejo rotacionado

Aqui, reunimos 5 dicas para que você tenha um pastejo rotacionado de sucesso, veja a seguir!

Divisão e cercamento dos piquetes na propriedade

Para dividir e cercar os piquetes, aproveite os arames e lascas de cercas já existentes no pasto e divida de acordo com o número dos animais e as forrageiras cultivadas. Inclusive, uma das forrageiras mais conhecidas e apreciadas pelos produtores é a braquiária, confira nosso texto sobre o tema e aprenda a cultivá-la! 

Também é possível cercar com cercas elétricas, que possuem um custo de instalação até quatro vezes menor que o das cercas convencionais em divisões de grandes áreas. Isso é possível devido à menor necessidade de isoladores de canto, colchetes, esticadores, lascas ou postes. Confira mais informações sobre a cerca elétrica rural.

Quais formatos de piquetes utilizar?

Utilize piquetes quadrados ou retangulares, pois são as formas mais eficientes para a contenção e pastejo mais uniforme.

Quantos piquetes utilizar?

A quantidade de piquetes deve ser calculada conforme a seguinte fórmula: 

número de piquetes = (período de descanso / período de ocupação) + 1 

Entretanto, recomendamos que verifique os detalhes sobre esse assunto com seu consultor agrônomo.

O que mais devo saber antes de implementar o pastejo rotacionado?

Ofereça forragem, espaço adequado no cocho de sal e no bebedouro para que não haja competição entre os animais. Certifique-se de que essas necessidades estão sendo atendidas antes de implementar o pastejo rotacionado à sua criação.

Podemos concluir, então, dizendo que o pastejo rotacionado possui diversos benefícios para o produtor, mas que seu valor de investimento é relativamente alto em comparação ao pastejo contínuo. 

Entretanto, isso valerá cada centavo no final, pois seus animais terão uma alimentação mais adequada e ficarão menos estressados no final do dia, melhorando, também, a sua produção (tanto de leite quanto de carne).
Se você gostou desse conteúdo e gostaria de saber mais sobre os melhores tipos de forragens para seus animais, comece pelo nosso artigo sobre o Capim Mombaça e aprenda a cultivá-lo. Dessa forma, tenho certeza que seus animais terão um alimento nutritivo e de qualidade para que cresçam saudáveis e fortes!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.