Cota Hilton: normas para a exportação da carne bovina

Cota Hilton: normas para a exportação da carne bovina

Você sabe o que é Cota Hilton? Ela define um limite para a exportação de cortes bovinos de alta qualidade para a União Europeia. Ela proporciona benefícios aos produtores como a redução da taxa cobrada pela União Europeia em até 20%. Além disso, a Cota Hilton também garante a melhoria na qualidade da carne bovina exportada e pode trazer uma bonificação nos preços que serão pagos por ela, gerando lucratividade aos produtores.

No presente artigo, você irá conferir mais detalhes sobre:

  • O que é a Cota Hilton;
  • Características do gado para a Cota Hilton;
  • Requisitos para compor a Cota Hilton;
  • Mais informações sobre o cadastramento da propriedade no ERAS – Estabelecimento Rural Aprovado no SISBOV.

Continue a leitura e saiba mais sobre a Cota Hilton e a sua importância para a exportação da carne bovina brasileira. Confira!

O que é Cota Hilton?

A Cota Hilton foi criada em 1979 com o intuito de limitar a quantidade de carne exportada, e garantir o padrão da produção. Ela deve ser composta por cortes especiais do quarto traseiro de novilhos precoces, com alto padrão de qualidade. O limite para o Brasil é de 10 mil toneladas de carne desossada por ano.

O Brasil é um dos maiores exportadores de carne bovina do mundo, e teve seu melhor desempenho na Cota Hilton em 2015/2016, onde exportou cerca de 9,29 mil toneladas, atingindo 92,9% da cota. A Cota Hilton define uma parcela das importações com redução de tarifas, que é dividida entre oito países, sendo eles: Canadá, Estados Unidos, Argentina, Uruguai, Paraguai, Austrália e Nova Zelândia.

Características do gado para a Cota Hilton

Para estar dentro das normas da União Europeia, a carne deve ser oriunda do abate de bovinos que apresentem características como:

  • Boa conformação da carcaça;
  • Cobertura de gordura;
  • Até quatro dentes incisivos;
  • Carcaça com peso mínimo de 195 kg para fêmeas e 240 kg para machos
  • Desossada;
  • Fresca ou resfriada.

Para entrar na cota, o gado precisa estar em fazendas credenciadas pelo ERAS (Estabelecimento Rural Aprovado no SISBOV). Isso porque essa credencial é o que torna o gado apto a ser exportado para a União Europeia. No Brasil, a cota não é utilizada completamente devido à disponibilidade do gado dentro dos padrões exigidos.

Requisitos para compor a Cota Hilton

Veja, a seguir, os requisitos necessários para que o gado bovino esteja dentro dos padrões exigidos na Cota Hilton:

  • Propriedade cadastrada no Serviço de Rastreabilidade da Cadeia Produtiva de Bovinos e Bubalinos (SISBOV);
  • Cadastro dos animais antes dos dez meses de idade no Banco Nacional de Dados;
  • Adquirir brincos e identificadores de acordo com os requisitos do SISBOV;
  • Transferir os animais para o ERAS – Estabelecimento Rural Aprovado no SISBOV;
  • Cumprir o período de 90 dias nas fazendas certificadas;
  • Realização do abate com identificação pelo Serviço de Inspeção Federal (SIF);
  • Exportação realizada apenas por frigoríficos autorizados.

Para exportar através da Cota Hilton, a idade dos bovinos deve ser verificada na Base Nacional de Dados do SISBOV. Por isso, é necessário que a propriedade e os animais estejam cadastrados  no BND antes que eles completem 10 meses de idade. Além disso, a fazenda em que será realizada a terminação deve ser certificada pelo Estabelecimento Rural Aprovado no SISBOV (ERAS).

Nela, os animais devem permanecer por pelo menos 90 dias, para atender as exigências de rastreabilidade. É necessário, também, que as propriedades sejam avaliadas por órgãos de defesa agropecuária conforme a norma operacional de cada região. As certificadoras realizam vistorias periódicas.

Saiba mais sobre o cadastramento no ERAS – Estabelecimento Rural Aprovado no SISBOV 

O Sistema de Identificação Individual de Bovinos e Bubalinos (SISBOV) estabelece normas que devem ser seguidas durante o processo produtivo nas propriedades rurais. Apesar de sua adesão ser voluntária, a inscrição no serviço é exigida para os animais destinados à exportação para a União Europeia.

Para se cadastrar, o produtor deve solicitar uma credencial a uma empresa autorizada pelo Ministério da Agricultura. Após a vistoria e a certificação dos animais, a propriedade passa a ser considerada um Estabelecimento Rural Aprovado no SISBOV (ERAS), onde os animais serão monitorados individualmente e todas as movimentações devem ser comunicadas aos órgãos responsáveis. O cadastro pode levar cerca de 120 dias em média.

Portanto, se deseja adequar os seus animais e receber todos os benefícios da Cota Hilton, não deixe de realizar o cadastro até os dez meses de idade de cada animal.

Agora que você já sabe tudo sobre a Cota Hilton e a sua importância para a exportação da carne bovina do Brasil, aproveite para ler também sobre o gado Chianina. Essa é uma raça de grande porte que teve origem em Toscana, na Itália, e é utilizada atualmente na produção de carne de excelente qualidade. Clique aqui e leia o artigo na íntegra!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.