colostro bovino

Colostro bovino: desmistificando as principais dúvidas dos pecuaristas

Colostro Bovino: Em uma estação de parto em plena atividade é de responsabilidade dos pecuaristas garantir que os bezerros recém-nascidos recebam a primeira injeção de colostro para dar-lhes o melhor começo de vida.

Na maioria das vezes, quando uma vaca cria sozinha, tem um instinto natural de ser mãe de seu bezerro e o recém-nascido tem a habilidade de tentar mamar, tudo vai bem. 

No entanto, nas raras ocasiões em que uma vaca precisa de ajuda, o bezerro demora a se levantar e se movimentar ou a mãe é uma vaca de baixa produção, é aí que a suplementação de colostro pode ser necessária, seja de outra vaca em lactação fresca ou como um produto disponível na prateleira.

O que é colostro bovino?

O colostro bovino é um líquido leitoso que sai das vacas nos primeiros dias após o parto, antes que o leite verdadeiro apareça. Ele contém proteínas, carboidratos, gorduras, vitaminas, minerais e tipos específicos de proteínas chamadas anticorpos que combatem os agentes causadores de doenças, como bactérias e vírus.

Colostro bovino em pó

Mesmo que sua importância seja bem clara para a saúde e nutrição das bezerras, a falta de controle por parte dos pecuaristas ou até a falta de disponibilidade de colostro de qualidade podem fazer com que o esse líquido falte.

Para evitar que essa falta prejudique os resultados da sua propriedade, a indústria idealizou o colostro bovino em pó. Com o colostro em pó, a indústria garante a qualidade imunológica, sanitária e nutricional.

Mesmo assim, antes de substituir o colostro natural pelo colostro em pó, sempre consulte um especialista.

De acordo com Janna Kincheloe, associada à pesquisa de extensão da South Dakota State University (SDSU), a importância do colostro não deve ser subestimada. Ela responde a cinco perguntas comuns sobre o colostro.

1. Qual é o problema do colostro bovino, afinal?

Em um artigo recente do iGrow, Kincheloe escreve: “O colostro contém mais de 90 compostos que lutam contra patógenos e estabelecem a resposta imunológica (imunoglobulinas, lactoferrina, lactoperoxidase); fornecem nutrientes (lactose, lipídios, proteínas); e estimular o crescimento e geração de nervos, cartilagem, ossos e músculos (ácidos graxos essenciais, minerais). 

Em comparação com o leite bovino maduro, o colostro contém mais sólidos totais (27,6% vs. 12,3%), maior proteína (14,9% vs. 2,8%) e gordura ligeiramente maior (6,7% vs. 4,4%). ”

2. Quais fatores podem causar uma falha de transferência passiva (FTP)?

A FTP se correlaciona com doenças e enfermidades e pode afetar o bezerro desde o nascimento até a terminação. 

Esses fatores incluem a vaca estar em uma dieta alimentar com déficit de energia, bem como estresse de temperatura, distocia, dificuldade de parto e falta de maternidade ou lamber o bezerro até secar após o nascimento.

Kincheloe escreve: “Uma das funções mais importantes do colostro é administrar imunoglobulinas que transferem imunidade passiva ao bezerro e permitem que ele combata infecções nas primeiras três a cinco semanas de vida. 

Isso é realizado pela absorção de anticorpos através da parede do intestino delgado do recém-nascido.

“Para máxima transferência de anticorpos, o recém –  nascido deve receber colostro logo após o nascimento. 

A transferência de anticorpos torna-se mais limitada nas primeiras 24 horas após o nascimento, pois a permeabilidade do intestino do recém-nascido é reduzida e a concentração de imunoglobulinas no colostro diminui. ”

3. Quanto colostro bovino é necessário nas primeiras 6-12 horas após o nascimento?

Ao ordenhar uma vaca para obter colostro, Kincheloe diz que as recomendações gerais são alimentar 5 a 6% do peso corporal do bezerro nas primeiras seis horas após o nascimento, e a mesma quantidade novamente às 12 horas.

Ela diz:

“Para um bezerro de 90 libras, essa quantidade seria de aproximadamente 2,5 quartos de colostro por alimentação. Se possível, o colostro deve ser coletado dentro de 24 horas após o parto e alimentado com leite fresco. Como alternativa, ele pode ser congelado em um ou dois sacos zip-top freezer ou em recipientes próprios para freezer e usado posteriormente. O descongelamento correto é importante para evitar que as proteínas do colostro sejam desnaturadas. Como as microondas costumam aquecer de forma desigual, o método recomendado de descongelamento é colocar o saco ou recipiente congelado de colostro em água morna (110⁰F) e mexer a cada cinco minutos. O colostro deve ser aquecido a 104o a 110⁰F. ”

4. As substituições de colostro ou suplementos de colostro são a melhor escolha?

Kincheloe diz:

“Tanto os suplementos quanto as substituições são feitos de colostro ou soro bovino seco; no entanto, os suplementos de colostro fornecem <100 g de IgG / dose e são formulados para serem fornecidos em conjunto com colostro natural, enquanto os substitutos de colostro contêm mais imunoglobulinas (> 100 g de IgG / dose) e também contêm proteínas digestíveis, vitaminas e minerais. Vários pesquisadores relataram níveis aceitáveis ​​de imunoglobulinas séricas em bezerros alimentados com vários produtos substitutos; no entanto, os produtores devem pesquisar produtos cuidadosamente e escolher um que tenha comprovado fornecer imunidade adequada. ”

5. E se o bezerro não pegar colostro bovino nas primeiras 24 horas?

Ela diz: “Os bezerros privados de colostro têm 50 a 75 vezes mais probabilidade de morrer nas primeiras três semanas de vida, a maioria deles na primeira semana. O TPF é geralmente determinado por um teste que avalia a concentração plasmática de IgG dentro de 24-48 horas após o nascimento. O nível crítico usado para indicar FPT em bezerros é inferior a 10 g / L.”

“Os produtos são classificados por sua capacidade de aumentar as concentrações plasmáticas de IgG. Os suplementos de colostro não aumentam a concentração plasmática acima do padrão da espécie de 10 g / L, enquanto os produtos de reposição o fazem. Os resultados da pesquisa indicam que os bezerros alimentados com produtos substitutos têm um desempenho semelhante aos alimentados com colostro materno em termos de níveis de IgG, saúde e taxas de crescimento. ”

Fonte: Amanda Radke (https://www.beefmagazine.com/calving/5-colostrum-questions-answered)

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.