Buva ocupando a lavoura

Resistência de plantas daninhas a herbicidas: o que fazer?

Uma situação que pode tornar-se preocupante para o produtor agropecuário é a resistência de plantas daninhas a herbicidas. Atualmente, estima-se que existam mais de 28 espécies de plantas daninhas capazes de desenvolver resistência simples ou múltipla, a diferentes herbicidas.

Enquanto os casos de resistência crescem, o número de herbicidas disponíveis no mercado continua praticamente o mesmo. Por isso, é importante saber identificar os problemas para realizar o manejo das plantas daninhas resistentes, evitando que elas prejudiquem o cultivo, trazendo possíveis prejuízos ao produtor.

Preparamos um artigo completo para que você saiba tudo sobre o tema. Confira!

O que são plantas daninhas?

Também conhecidas como ervas daninhas, as plantas daninhas são hospedeiras de pragas, nematóides e doenças. Historicamente, elas sempre estiveram presentes desde o início da produção agrícola. As plantas daninhas eram aquelas que não poderiam ser utilizadas como alimento ou forragem.

No entanto, com o passar do tempo, as plantas daninhas tornaram-se cada vez mais diversas, com a capacidade de afetar profundamente as atividades agrícolas. Além disso, a resistência de plantas daninhas a herbicidas faz com que o manejo seja ainda mais complicado. Isso porque elas podem germinar com facilidade, fazendo com que se inicie um novo ciclo de pragas no ambiente.

Além disso, as plantas daninhas produzem um alto número de sementes por dia, e, também, possuem grande capacidade de infestação.

O que é resistência de plantas daninhas? 

Uma das formas mais frequentes de manejar as plantas daninhas é através do uso de herbicidas. No entanto, se forem utilizados os mesmos herbicidas ou até mesmo herbicidas diferentes, mas que atuam da mesma forma, é exercida uma pressão de seleção, desenvolvendo, dessa forma, maior resistência de plantas daninhas a herbicidas.

Isso faz com que as plantas desenvolvam um biótipo resistente e mais difícil de combater. Além disso, é possível que elas também produzam descendentes com carga genética semelhante. A resistência pode ocorrer de duas formas diferentes: cruzada ou múltipla. A resistência cruzada ocorre quando a planta pode ser resistente a diferentes tipos de herbicidas que possuem o mesmo mecanismo de resistência. Já a resistência múltipla ocorre quando o biótipo pode ser resistente a dois ou mais herbicidas com mecanismos diferentes.

Principais mecanismos de resistência de plantas daninhas a herbicidas

Cada herbicida possui um mecanismo de ação. Ou seja, é o primeiro passo bioquímico no interior da célula, capaz de inibir as atividades das plantas daninhas. No entanto, geralmente apenas esse processo não é suficiente, e necessita de outras ações para realmente combater aquela planta que desenvolve maior resistência.

A resistência de plantas daninhas a herbicidas normalmente surge do modo de ação de cada um, pois existem alterações fisiológicas capazes de impedir que o herbicida controle uma planta daninha. Confira quais são os principais mecanismos de resistência:

Mecanismos de resistência no sítio de ação

Esses mecanismos estão diretamente ligados ao local de ação do herbicida. Trata-se, normalmente, de uma alteração na enzima que pode impedir a sua inibição.

Mecanismos de resistência fora do sítio de ação

Os mecanismos que não estão ligados ao sítio de ação podem interferir no modo de ação do herbicida, inibindo sua atividade no local.

Alteração genética

A alteração genética pode aumentar o número de cópias da sequência de DNA que afeta a enzima relacionada à ação do herbicida. Dessa forma, as plantas daninhas com esse mecanismo tornam a dose do herbicida ineficiente.

Metabolização ou desintoxicação do herbicida

A metabolização ou desintoxicação do herbicida ocorre pelas enzimas mono-oxigenase do citocromo P450 e da glutationa.

Como identificar a resistência de plantas daninhas a herbicidas

Em casos de suspeita de resistência em uma lavoura, é necessário que o produtor se atente aos seguintes fatores:

  • A tecnologia de aplicação dos herbicidas teve uma boa cobertura do alvo?
  • O produto foi aplicado no momento ideal?
  • Os herbicidas aplicados tem um bom histórico com aquela planta daninha?
  • As falhas ocorreram apenas para uma espécie de plantas daninhas?

Se a resposta for afirmativa para todas as perguntas acima, o ideal é que o produtor entre em contato com uma instituição de pesquisa para obter mais informações sobre casos de resistência de plantas daninhas a herbicidas. Dessa forma, os estudos de combate podem facilitar a contenção e o manejo das plantas daninhas.

Dicas para evitar a resistência de plantas daninhas

Para evitar que ocorra a resistência de plantas daninhas a herbicidas na área, siga as dicas a seguir:

  • Realize a rotação de culturas e a adubação verde;
  • Faça a limpeza correta dos equipamentos antes de utilizá-los novamente;
  • Conheça o histórico da região;
  • Inclua herbicidas pré-emergentes no processo de manejo;
  • Siga a tecnologia de aplicação.

Agora que você já sabe como evitar que as plantas daninhas criem resistência aos herbicidas, aproveite para ler também o nosso artigo sobre a buva. Trata-se de uma planta daninha que pode afetar o cultivo de feijão, girassol, soja, cana de açúcar, arroz e algodão. Além disso, a buva também apresenta resistência a diversos inseticidas, o que pode dificultar o seu manejo. Clique aqui e saiba mais!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.