Fertilizante orgânico

Fertilizante orgânico: entenda o que são os adubos orgânicos e como eles auxiliam na sua produção

Sabemos que quanto menos materiais poluentes, dejetos e produtos químicos forem utilizados, melhores serão os resultados em termos de sustentabilidade

Devido a este cenário, devemos buscar formas menos agressivas manejo no plantio.

A fertilização é um fator importante quando falamos de diminuir poluentes. Portanto, iremos falar neste artigo sobre a adubação orgânica, seus benefícios e exemplos de adubos naturais que você pode utilizar.

O que é um fertilizante orgânico?

Segundo a Embrapa, fertilizantes são componentes que podem ser orgânicos, naturais ou sintéticos, destinados a nutrir as plantas.

A principal característica dos fertilizantes orgânicos é que eles são naturais (sem aditivos sintéticos). Assim, eles podem ser provenientes de origem vegetal ou animal, após sua decomposição. 

No entanto, existem diferentes classificações para os adubos orgânicos. Confira a seguir.

Adubos orgânicos simples

Os adubos orgânicos simples têm apenas uma origem, seja ela animal ou vegetal. Podemos citar como exemplo: restos de plantas, folhas, esterco etc.

Adubos orgânicos mistos

Adubos orgânicos mistos consistem na mistura de dois fertilizantes orgânicos simples, gerando uma composição mista.

Adubos orgânicos compostos

Adubos orgânicos compostos podem ser originários de diversos lugares: da indústria, da cidade ou do campo. Costumam, também, ser enriquecidos por minerais e outros princípios ativos para a melhora de suas características físicas, químicas e biológicas.

Benefícios do adubo orgânico

Por reterem bastante água, materiais orgânicos têm a capacidade de agregar melhor o terreno, diminuindo a erosividade da água na terra. Além disso, eles ajudam a estabilizar a temperatura do solo durante o dia.

Fertilizantes orgânicos têm a capacidade, também, de estimular o desenvolvimento de uma biodiversidade rica no solo. Com isso, microorganismos e fungos se encontram em um ambiente favorável para auxiliar no crescimento da planta. 

Vale dizer que utilizar adubos orgânicos em sua cultura não é complicado. Visto que muitos dos materiais que você descartaria no dia-a-dia podem ser reaproveitados na sua lavoura, como borra de café, cascas de ovos e restos de frutas. Este procedimento é fácil e benéfico para você, para sua lavoura e, consequentemente, para o meio-ambiente.

Exemplos de fertilizantes orgânicos e sua preparação

Agora que já ficou claro o conceito de adubo orgânico e seus diferentes tipos, você deve estar se perguntando: quais são os mais eficazes? Conheça a seguir alguns exemplos dos melhores adubos e suas preparações!

Esterco animal (ou estrume)

Este tipo de adubo costuma ser o mais utilizado. Ele pode ser proveniente de dejetos de animais como o gado, ovelhas, cavalos e outros animais herbívoros. 

Para utilizar o esterco como adubo, curta-o! O estrume precisa de preparação para ser utilizado. Deve-se, um mês antes, juntar todos os dejetos e revirá-los a cada três dias, não deixando que o monte fique muito úmido — para que a umidade não propicie o surgimento de patógenos e microorganismos prejudiciais ao desenvolvimento da planta.

Compostagem

Neste método, é estimulada a decomposição de restos de materiais orgânicos que seriam descartados, como alimentos, grama cortada e folhas secas.

Para que o adubo seja preparado para o uso, são necessárias caixas de compostagem (composteiras) e o seguinte processo:

  1. Forra-se o fundo da primeira caixa com folhas; 
  2. Deposita-se o material orgânico por cima;
  3. Coloque húmus e minhocas na segunda caixa, que ajudarão na decomposição do material;
  4. Na terceira caixa, por sua vez, será onde o fertilizante líquido obtido no processo (produto final) ficará armazenado.

Resíduos de minhocas (ou adubo vermicomposto)

O húmus de minhoca é um grande aliado no crescimento das plantas, pois é extremamente rico em nutrientes.

Para prepará-lo, é necessário um viveiro dividido em três caixas. Na primeira caixa, serão depositados terra, minhocas e o material orgânico — resto de alimentos e plantas. Na segunda, ficam os dejetos das minhocas, após processarem a matéria orgânica disponibilizada. Já na terceira parte, é onde ficará armazenado o líquido final — o chorume — utilizado no processo da adubação orgânica.

Grama (cobertura morta)  

O procedimento de adubação com grama consiste em, basicamente, distribuir a grama recém cortada pela plantação. Sua decomposição irá liberar matéria orgânica a ser processada pelos microorganismos do solo, que a transformam em “alimento” para as plantas.

Lodo de esgoto 

Então o esgoto pode, realmente, ser benéfico para a plantação? — Não, o esgoto em si não traz vantagem nenhuma para a lavoura. Entretanto, o lodo produzido pelo tratamento de esgoto, sim.

Ele é um material orgânico, barato, secundário ao processo de purificação da água. Ele possui alto teor de nitrogênio e carbono orgânico, que são benéficos para o solo.

Este é um procedimento incomum, porém, acredite você ou não, é um método eficaz para a fertilização, além de ser sustentável. Entretanto, devemos sempre ter cautela ao lidarmos com este tipo de componente para adubação.

Agora que você já sabe mais sobre os fertilizantes orgânicos, fica fácil implementar ações mais sustentáveis e produtivas na sua lavoura. Optar por soluções sustentáveis e menos danosas para a própria saúde, como a utilização de fertilizantes orgânicos, pode ser uma excelente decisão!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.