Sorgo: o que é e como cultivar o grão

Powered by Rock Convert

Se a sua intenção é iniciar um plantio ou implementar uma nova cultura para expandir sua produção, o sorgo pode ser a escolha ideal.

Nos últimos anos, a produção deste cereal tem crescido exponencialmente. Devido ao fato de ser uma planta muito flexível, resistente às variações climáticas e que pode ser incluída na alimentação, tanto para dietas humanas quanto animais, o sorgo tem ganhado destaque.

Além disso, já é o 5º cereal mais cultivado no mundo, perdendo apenas para o trigo, arroz, milho e cevada.

Se você tem interesse em iniciar o cultivo desta planta, acompanhe este artigo para entender as particularidades do sorgo e como cultivá-lo em sua lavoura.

Mas o que é o sorgo, exatamente?

O sorgo é um cereal, originário da África, que hoje é comercializado tanto em seu país de origem quando na Ásia e América Central. Ele foi introduzido no Brasil no século XX e, atualmente, os principais produtores do grão são os estados de Goiás e Minas Gerais, respectivamente.

Na alimentação humana, seu consumo é através da farinha do sorgo. Além disso, é usado amplamente na dieta animal (ensilagem) — principalmente nos EUA, América do Sul e Austrália.

Existem 4 espécies de sorgo: o sorgo granífero (mais comum), sorgo sacarino (porte alto e maior nível de açúcar), sorgo vassoura (que serve para fabricação de vassouras) e sorgo forrageiro (utilizado na forragem).

Neste artigo, iremos tratar especificamente do sorgo granífero. Sua produção é mais comum no Brasil e existem estudos mais aprofundados sobre ele.

Características gerais do Sorgo

A planta do sorgo resiste a temperaturas quentes e relativamente frias — podendo ser cultivada entre 16°C a 38°C. Além disso, possui boa tolerância à seca e é extremamente adaptável a quase todo tipo de solo, desde os argilosos até aos mais arenosos.

Costuma-se dizer, também, que é uma planta extremamente adaptável e de cultivo flexível, pois pode se desenvolver em locais áridos (sem muita chuva) e resiste bem à incidência de radiação solar.

Sem dizer que, por ser um cereal parecido com o milho e sua planta atingir alturas de até 170 cm, viabilizar a mecanização no seu cultivo costuma ser bastante simples.

Observação: a análise do solo é fundamental antes de iniciar o plantio do sorgo na sua fazenda, pois ele não pode ser plantado em solos ácidos e/ou sem drenagem adequada. Além disso, é importante evitar terrenos desnivelados no cultivo do sorgo.

Semeadura do sorgo

Para semear esta planta deve-se optar pelo processo convencional (solo arado com aro de disco ou aiveca e grade niveladora), ou direto na palha. A chance de germinação é em torno de 75%.

Para sua adubação e fertilização, é necessário que os componentes (nutrientes) estejam em harmonia com o solo e a fase da planta. Veja a tabela a seguir, montada conforme o ciclo de plantio e sua necessidade nutricional:

Tendo essas informações em mente, é importante dizer também que um procedimento altamente indicado para o plantio de sorgo é a fertirrigação. Este método otimiza o desenvolvimento da planta através do controle dos fertilizantes e da irrigação.

Alguns fatores podem fazer com que o cultivo na sua lavoura seja prejudicado, como pragas e doenças. Portanto, iremos falar rapidamente sobre esse controle, caso se veja em uma situação parecida.

Controle de pragas e doenças

As pragas que mais afetam este tipo de cultura são a lagarta-do-cartucho, lagarta-elasmo, broca-do-colmo, helicoverpa spp e o pulgão-verde. Estas, por sua vez, podem ser tratadas diretamente com inseticidas.

Um fator muito vantajoso da planta é que, quando cultivado próximos a outras culturas, atrai o aparecimento de joaninhas. Esses insetinhos são predadores de pulgões, gerando, assim, uma proteção muito eficaz contra essa praga.

Além das pragas,  existem algumas doenças que podem afetar o cultivo do sorgo. Dentre elas, as mais importantes afecções são:

  • A antracnose (a principal doença que acomete o sorgo aqui no Brasil);
  • A ferrugem;
  • A helmintosporiose;
  • A ergot (doença açucarada);
  • O míldio.

Nos casos citados, a prevenção pode ser feita através da manipulação genética — gerando “imunidade” para as doenças. Além disso, a aplicação adequada de fungicidas também é recomendada. 

Confira a tabela a seguir para utilização de fungicidas adequados contra cada doença:

Observação: só se deve aplicar os fungicidas quando o sorgo estiver em seu estádio de emborrachamento (em torno de 50 a 55 dias desde a semeadura).

Utilização e processo de colheita

O planejamento de sua colheita deve ser bem executado e alguns detalhes devem ser mencionados sobre o sorgo. 

O primeiro detalhe a ser levado em conta sobre este grão é que ele resiste bem ao processo de armazenamento pós-colheita. Além disso, o procedimento escolhido na sua colheita irá depender do objetivo do seu uso final.

Segue abaixo os métodos de utilização do sorgo e período ideal de colheita:

  • Se for para a colheita de grãos, especificamente, deverá estar entre 14% a 17% com secagem artificial ou 12% a 13% em secagem natural;
  • Se for feito para a ensilagem (alimentação animal), o momento ideal é quando a planta atinge em torno de 30% de matéria seca;
  • Para o corte verde é indicado que a colheita seja feita na fase do emborrachamento;
  • Para o pastejo, a colheita é mais indicada entre 30 a 40 dias da semeadura;
  • Para a cobertura morta, a colheita deve ser feita quando a planta atingir cerca de 150 cm de altura. 

Podemos dizer que, através deste artigo, você já obteve os conhecimentos básicos para iniciar a sua plantação de sorgo. Portanto, siga as recomendações, adeque sua fazenda para o plantio deste cereal e, no final, você verá os ganhos que essa planta lhe trará!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.