Gado leiteiro

Gado leiteiro: saiba tudo sobre as principais raças

O gado é o animal mais utilizado na pecuária, e é a partir dele que são obtidos produtos como a carne e o leite para a comercialização. 

O produtor sabe, entretanto, que não é fácil executar todo o processo de criação de gados, desde o seu nascimento (com os bezerros e as novilhas), até a sua maturação e obtenção do produto final. 

Foi por isso, então, que reunimos algumas informações para você entender melhor sobre um dos principais geradores de lucro dentro da fazenda: o gado leiteiro. Confira, a seguir, todas as informações necessárias para você se entender melhor sobre esse tipo de bovino!

O que é gado leiteiro?

O gado leiteiro é um bovino de grande porte que possui a capacidade de gerar leite e fornecê-lo, seja na amamentação de sua cria ou para a comercialização e uso humano. 

Sua característica mais evidente é de serem animais que comem rapidamente o seu alimento, e que se deitam ou param embaixo da sombra, durante as horas mais quentes do dia, para mastigarem (ruminarem) a comida.

Sua rotina é a seguinte: as vacas, em um período de 24 horas, alimentam-se durante 8 horas por dia, repousam por outras 8 e, nas horas restantes, elas ruminam o alimento.

O gado leiteiro compõe um setor específico de uma fazenda. O setor pode ser no pasto ou na pecuária intensiva, e é neste setor que é possível realizar a obtenção do leite para o consumo e comercialização.

Vale destacar que o leite produzido pela vaca leiteira é considerado como um subproduto que depende da função reprodutiva e de uma dieta controlada.

Qual é a melhor raça de gado leiteiro?

Existem diferentes tipos de raças de gado que são importantes na pecuária brasileira. Porém, a definição se uma raça é mais apropriada que outra na pecuária irá depender das necessidades do agricultor. 

Explico: digamos que o produtor necessite aprimorar a produção de gados de corte, então será preciso que obtenha, por exemplo, a raça Nelore (que é uma raça frequentemente utilizada para esse objetivo). Se, por outro lado, necessitar de um gado leiteiro, ele precisa investir em uma raça com especificidades voltadas ao fornecimento de altas quantidades de leite, e assim por diante (conforme cada necessidade).

Neste artigo, reunimos as 3 principais raças de gado para a produção de leite. Veja a seguir.

Gir

A raça Gir é proveniente do norte da Índia. Trata-se de um animal capaz  de fornecer tanto carne quanto leite — em quantidades satisfatórias — mesmo sendo observadas linhagens que se destacaram mais pela produção leiteira. 

A média de produção de leite dessa raça é, em torno, de 3.198 kg de leite por ano por animal. Apesar de ser uma média expressiva, a raça Gir também é capaz de alcançar lactações que chegam próximas a 5.000 kg de leite. 

No geral, são animais dóceis e foi isso que contribuiu para sua expansão no seu uso na pecuária no Brasil. Além disso, ela também é utilizada para cruzamentos com a raça Holandesa, também comum na produção de leite, gerando a mestiça Girolando.

Holandesa

A raça Holandesa pode ser considerada, majoritariamente, uma raça produtora de leite. Que apenas um animal já chegou a gerar, no ano de 2002, uma produção equivalente a 8.130 kg de leite.

Por ser uma raça focada na produção de leite, as vacas Holandesas não eram escolhidas para o mercado de carnes. No entanto, em 1980, foi estabelecido um programa de cruzamentos com raças especializadas de corte, com a Charolês, Limousin e Piemontês, acabaram por criar linhagens com melhor rendimento no abate.

E, por falar em cruzamento, não podemos deixar de lado o fato de que foi o cruzamento entre o gado Holandês e o Gir. Esse, então, foi o possível o surgimento da raça Girolando, que hoje é a principal raça comercializada no Brasil para a produção leiteira.

Girolando

Como já foi dito, a raça Girolando é a principal quando se fala em gado leiteiro. Isso porque ela representa o maior número de recordes mundiais nesse tipo de produção!

Em um único dia, uma Girolando foi capaz de acumular a marca de 120,48 kg de leite produzido. Além disso, a raça se destaca por sua longevidade acima da média e na sua adaptação genética, favorável ao agronegócio.

Adaptação genética

Quando falamos sobre adaptação genética favorável, estamos dizendo que uma raça de gado é capaz de ser aprimorada, tanto para o corte quanto para a produção de leite, de forma minuciosa. 

Para a raça Girolando, por exemplo, o padrão genético é 68% holandês. No entanto, também é possível trabalhar com animais 50% ou 75% holandês para a obtenção de leite.

Raças de gado leiteiro bem adaptadas geneticamente são úteis a qualquer sistema de produção, tanto no intensivo, quanto na dieta ao pasto. Por isso, estão conquistando melhores resultados ano após ano em qualquer um desses sistemas.

Quanto custa, em média, uma vaca de gado leiteiro?

Existem muitos fatores que podem influenciar no valor final de uma vaca leiteira. 

O valor médio de compra imediata de uma vaca para esse fim, entretanto, gira em torno de R$ 5.000, conforme pesquisa realizada no site MFRural (site de compra e venda de produtos e animais para a agropecuária).

Concluindo, é perceptível a importância de fazer a escolha correta do tipo de gado para cada objetivo do produtor. Cada animal, se bem selecionado e incluído na operação pecuarista, é capaz de fornecer grandes quantidades de produto final, seja o leite ou a carne. 
Se você se interessa pela criação de gado, saiba mais sobre raças para corte lendo também sobre o gado Charolês e entenda de uma vez por todas o motivo dele ser considerado sinônimo de qualidade de carne! Boa leitura!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.