Contabilidade Rural

Contabilidade Rural: entenda o que é e como aplicar esse gerenciamento na sua fazenda!

Cuidar do patrimônio é essencial quando o assunto é o agronegócio. Entretanto o produtor, às vezes, deixa passar despercebido um gerenciamento importantíssimo: a contabilidade rural.

Voltada ao atendimento de empresários dos setores agrícola, agropecuário, agroindustrial e zootécnico, a contabilidade rural é a ferramenta que tenta prever a variação de produtos e insumos que são necessários para o bom andamento de uma produção.

Se você é produtor, contador, entusiasta ou apenas se interessa pelo tema de contabilidade, continue a leitura desse texto para entender melhor do que se trata a contabilidade no campo e quais são os principais registros contábeis. Além disso, no final, também iremos dar um passo-a-passo de como incorporar a contabilidade rural na prática!

O que é a Contabilidade Rural?

A contabilidade rural é um sistema de informação focado no patrimônio rural. Seus principais objetivos são o estudo de ativos como o caixa, a terra, os equipamentos disponíveis e que precisam ser comprados, fertilizantes e sementes; e de passivos, como os empréstimos e maquinários.

Basicamente, podemos definir a contabilidade rural como a ciência contábil aplicada à realidade dos negócios agropecuários. Mas não é simplesmente qualquer negócio agropecuário que necessita dessa ferramenta, são os grandes negócios que normalmente necessitam controlar, registrar e analisar os dados financeiros e econômicos da empresa.

Principais conceitos ligados à Contabilidade Rural

Para entendermos quando é possível aplicar a contabilidade rural, devemos entender os principais conceitos a ela atrelados. Veja, a seguir, os conceitos mais importantes.

Empresas rurais 

As empresas rurais são empreendimentos (públicos ou privados), de origem física ou jurídica, que realizam atividades econômicas na área rural. 

Atividade agrícola 

A atividade agrícola é a prática que utiliza o solo para plantio e produção vegetal. Por exemplo: a hortifruticultura.

Atividade zootécnica 

A atividade zootécnica consiste na criação de animais para fins comerciais. Por exemplo: a pecuária

Atividade agroindustrial 

A atividade agroindustrial consiste na transformação do produto agrícola e na modificação dos produtos de origem animal, consequentemente, beneficiando-se de quaisquer resultados obtidos.

Portanto, as práticas que integram as atividades rurais são:

  • a agricultura; 
  • a pecuária; 
  • exploração vegetal e animal; 
  • atividades zootécnicas; 
  • a venda de animais; 
  • o reflorestamento; 
  • a transformação e/ou o processamento de qualquer produto proveniente da atividade rural.

Quais são os principais registros contábeis?

Sendo uma das atribuições mais importantes para a contabilidade das empresas, os registros contábeis podem incluir algumas atividades importantes do campo. Neste tópico, iremos citar as principais para cada setor agrônomo.

Registros contábeis na agricultura

Quando levamos em consideração as práticas agrícolas, podemos considerar as seguintes variáveis para que o agronegócio esteja em dia com seus direitos e deveres burocráticos:

  • custos referentes às culturas (plantações) temporárias e permanentes; 
  • o estoque de produtos agrícolas, onde os custos, benefícios, acondicionamentos e armazenagem específicas de cada uma das safras são contabilizadas; 
  • a avaliação de bens; 
  • o ativo permanente imobilizado (referente aos custos que trarão benefícios a longo prazo);
  • o ativo circulante, com os dados das despesas com estoque de produtos e custos necessários para a conclusão de safras;
  • a despesa operacional, considerando as perdas decorrentes de atrasos ou se uma safra for perdida; 
  • as despesas pré-operacionais, que podem ser amortizadas diretamente na primeira colheita; 
  • custos imobilizados, onde são considerados os custos que aumentam a vida útil de uma cultura permanentemente.

Registros contábeis na pecuária

Na pecuária, alguns dos registros contábeis mais importantes são: 

  • O estoque de animais. É importante, nesse caso, considerar a idade e a qualidade do rebanho quando forem registrados estes ativos; 
  • O nascimento de animais, calculando de acordo com a divisão de custos acumulados pela quantidade de animais que nasceram no período analisado; 
  • Os custos dos animais (tanto quanto forem comprados, quanto para sua venda).

5 passos para utilizar a contabilidade rural na fazenda

Após termos ciência dos principais registros contábeis, podemos seguir em frente e aplicar o sistema da contabilidade rural na prática. A seguir, trouxemos um passo a passo para você, contador ou produtor, inserir essa prática tão importante no seu negócio.

1º passo: faça um levantamento patrimonial 

Ao realizar um levantamento patrimonial, você conseguirá analisar quais são seus ativos (bens e direitos) e quais são seus passivos (obrigações). 

Portanto, registre o seguinte:

  • O capital em conta; 
  • Máquinas e implementos agrícolas; 
  • Silos, galpões e outras construções; 
  • Todas as contas a pagar e a receber; 
  • Valor inerente a terra (considerando, sempre, a capacidade produtiva do solo); 
  • Todos os alimentos que estão armazenados.

Desta maneira, e com os resultados obtidos, é possível saber qual é seu patrimônio e poderá realizar um fluxo de caixa (que veremos mais detalhadamente a frente).

Observação: atente-se em não misturar as despesas pessoais com as da atividade profissional no levantamento patrimonial, pois assim você terá mais controle do seu negócio e das despesas da família.

2º passo: especifique sua atividade e faça a contabilidade de acordo com ela

Esse passo é importante porque a atividade agropecuária é dividida em culturas permanentes, temporárias e pecuária. E, por isso, são classificadas e contabilizadas de diferentes maneiras.

Os produtos que vêm de culturas permanentes, como o eucalipto, por exemplo, vão ser contabilizados como ativos não circulantes (já que o produtor irá receber o retorno desses produtos apenas a longo prazo). 

Já os produtos de culturas temporárias, como os anuais (produzidas anualmente, de acordo com cada safra), são classificados como ativos circulantes (pois o produtor irá receber rapidamente o dinheiro pelos produtos).

3º passo: elabore seu fluxo de caixa 

O fluxo de caixa é importante pois será essa análise que irá identificar as entradas e saídas financeiras que a sua atividade agrícola está gerando. 

Será, também, através dela que você conhecerá o saldo que tem disponível, qual seu capital de giro e, assim, poderá utilizar o dinheiro de maneira coerente caso aconteça algum gasto eventual.

Na prática, o fluxo de caixa consiste em registrar todos os custos e recebimentos. Com isso, você dividirá seu saldo disponível por período (tal como um ano de trabalho agrícola, por exemplo).

Portanto, devemos considerar como recebimentos: vendas à vista e a prazo, em cheques, cartões e rendimentos de aplicações. 

Já como custos, devemos considerar: os fornecedores, os custos e despesas financeiras, salários e encargos, impostos, investimentos, empréstimos e dívidas.

4º passo: divida as responsabilidades financeiras com o seu contador 

Uma maneira muito interessante de gerir um negócio é do produtor controlar todas as atividades de sua fazenda, incluindo a parte financeira. Apenas dessa maneira é possível entender quais decisões estão funcionando e que irão aumentar a rentabilidade da sua produção.

Entretanto, o ideal é que alguns cálculos de encargos, aplicações financeiras, questões trabalhistas e imposto de renda referentes à produção rural sejam delegados a um profissional de contabilidade. Especializado nessa função, o contador pode ser um grande aliado na hora de tomar decisões que envolvem dinheiro e se manter regular diante das suas obrigações com a Receita Federal.

Alguns outros pontos também podem contar com a atenção de um contador, caso o produtor escolha contar com sua ajuda. Veja: 

  • Extrato bancário de conta corrente e aplicações financeiras; 
  • Identificação dos recebimentos das notas fiscais emitidas; 
  • Descontos concedidos ou cobrança de juros; 
  • Contas de luz, água, internet e telefone; 
  • Nota fiscal (com os gastos); 
  • Contratos e notas fiscais de prestadores de serviços; 
  • Se o produtor contar com a ajuda de outros funcionários, é necessário que o contador também lide com o comprovante do pagamento da folha de pagamento.

5º passo: implemente um software de gestão agrícola 

O uso de softwares de gestão agrícola pode ajudar bastante o produtor rural que busca maior controle e segurança de dados.

Às vezes, é fácil se perder no amontoado de dados, planilhas, papéis que acabam ficando espalhados quando é feita a contabilidade agrícola. Com um software, no entanto, é possível deixar todas as suas informações em um único lugar, podendo ser facilmente visualizadas e interpretadas, tanto pelo contador quanto pelo produtor rural.

Algumas particularidades da atividade rural nos registros contábeis 

A contabilidade rural deve evidenciar as contas de receitas, custos e despesas, segmentadas por tipo de atividade. Por conta disso, existem algumas particularidades que o contador (ou o produtor, se estiver fazendo por conta própria) deve se atentar. A seguir, destacamos as principais. Confira!

  • A avaliação dos dados contábeis devem fundamentar-se nos ciclos operacionais
  • As perdas, sejam elas parciais ou totais, decorrentes de qualquer fenômeno natural (como ventos, geadas, inundações, pragas, granizos, secas, tempestades), tal como incêndios, devem ser registradas como gastos não operacionais da atividade agrícola (despesas que não envolvem operações normais de negócios. Outro exemplo de uma despesa não-operacional é dos juros sobre algum dinheiro emprestado).
  • Os custos referentes a desmatamento, destocamento, correção de solo e outras melhorias que beneficiarão mais de uma safra devem ser contabilizados pelo valor original, deduzidas as receitas líquidas com a venda dos produtos do desmatamento ou do destocamento;
  • Os custos indiretos das culturas, temporárias ou permanentes devem ser referentes aos respectivos produtos produzidos; 
  • Os custos da colheita (assim como o acondicionamento e armazenagem) devem ser contabilizados em conta de Estoque de Produtos Agrícolas; 
  • Os custos que, de alguma forma, aumentem a vida útil da cultura permanente devem ser adicionados aos valores imobilizados
  • As perdas que corresponderem ao retardamento da safra agrícola devem ser contabilizadas como despesas operacionais; 
  • Os ganhos referentes ao valor de mercado dos produtos em estoque devem ser contabilizados como receita operacional.

Esses são os principais pontos para o contador se atentar na hora de gerar qualquer relatório. A contabilidade rural é um importante passo para o produtor conseguir garantir um bom fluxo no seu negócio, sendo possível analisar suas finanças de forma precisa e possibilitando ações mais acertadas e conscientes por parte de toda a gestão e operação.

Se você gostou desse conteúdo e gostaria de trazer mais eficiência para sua produção no campo, dê uma olhada no nosso artigo sobre consultoria na fazenda e entenda como ampliar seus resultados a partir de um gerenciamento especializado!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.