Agricultura 4.0 é o futuro!

Agricultura 4.0: entenda esse conceito que está revolucionando o setor agrícola

Buscando a conexão e o avanço tecnológico, a era digital na agricultura está em constante crescimento, visando soluções mais eficientes nas produções. Essa mudança está afetando desde pequenos produtores até grandes fazendas e grupos agrícolas. 

Dessa forma, com objetivo de modernizar, simplificar e otimizar a produção no campo, a Agricultura 4.0 é uma realidade que está cada vez mais presente nas propriedades rurais do Brasil. Nesse texto, abordaremos o significado desse conceito, assim como seus benefícios, as principais tecnologias utilizadas e os desafios na implementação da Agricultura 4.0 no país. Boa leitura!

O que é a Agricultura 4.0?

A Agricultura 4.0 é um conceito utilizado desde 2010, também conhecida como a Quarta Revolução Industrial. Basicamente, consiste na utilização de um conjunto de tecnologias digitais avançadas que se integram e se conectam através da internet, durante diferentes estágios da produção agrícola. Ou seja, a Agricultura 4.0 diz respeito à digitalização dos processos de produção no meio rural.

Seu principal objetivo é otimizar a produção e a gestão no campo, em cooperativas ou em agroindústrias, aprimorando o controle, o monitoramento e a forma de trabalhar. Com isso, é possível conectar todos os sistemas utilizados e também as pessoas envolvidas no processo, como fornecedores e clientes.

Essa revolução agrícola é baseada em quatro aspectos principais: a gestão de dados, a produção a partir de novas tecnologias, a profissionalização do campo e a sustentabilidade. Além disso, palavras-chave para a Agricultura 4.0 são: conectividade, agilidade, produtividade, rentabilidade, assertividade, autonomia e fusão de tecnologias.

Quais os benefícios da Agricultura 4.0?

Implementar a Agricultura 4.0 traz diversos benefícios não só aos grandes empresários, mas também aos pequenos produtores e à agricultura familiar. Ela torna a produção mais inteligente, além de permitir a profissionalização do campo, já que exige que profissionais se capacitem para lidar com as novas tendências tecnológicas.

Além disso, entre algumas vantagens, podemos citar o aumento da produtividade, o monitoramento das operações agrícolas, a redução de desperdícios e a diminuição dos custos. Confira mais a seguir:

Aumento da produtividade

Com o uso de máquinas automatizadas, é possível produzir mais utilizando menos equipamentos. Também, a coleta de análise de dados gerenciais é feita de forma constante, permitindo um padrão de eficiência muito maior na produção. Dessa forma, todas as fases do processo são beneficiadas através do uso das tecnologias inseridas na Agricultura 4.0, aumentando consideravelmente a produtividade. 

Monitoramento de operações agrícolas

O uso de tecnologias como drones, sensores e dispositivos de georreferenciamento fornece informações muito importantes sobre todo o processo de produção, permitindo que o agricultor acompanhe sua lavoura em tempo real, mesmo quando está ausente. Isso torna as etapas da produção mais fáceis de serem planejadas, realizadas e monitoradas, levando segurança e auxiliando nas tomadas de decisões do produtor.

Redução de desperdícios e diminuição dos custos

Os softwares integrados aos equipamentos agrícolas permitem gerar dados precisos na gestão e na produção. Portanto, é possível evitar erros durante o processo, como por exemplo a duplicação ao aplicar defensivos agrícolas e o replantio de sementes. Dessa forma, o uso dessas ferramentas impede o desperdício de insumos e materiais, reduzindo consequentemente os custos e levando mais sustentabilidade para a produção.

Tecnologias utilizadas na Agricultura 4.0

Atualmente, existe uma série de tecnologias sendo desenvolvidas para implementação no meio agrícola. Além disso, algumas ferramentas já são utilizadas em propriedades em território nacional, confira abaixo algumas delas:

Análise de clima

O clima é o fator que mais traz imprevisibilidade e preocupação para o produtor, causando riscos em todas as etapas da produção. Dessa forma, com o avanço da tecnologia no campo, soluções precisas de monitoramento do clima estão sendo utilizadas, auxiliando o agricultor a programar com assertividade as operações de preparação do solo, plantio, aplicações e colheitas, além de auxiliar na otimização de recursos hídricos na lavoura.

Biotecnologia

A biotecnologia no campo é um recurso tecnológico que visa uma melhor compreensão do desenvolvimento da plantação. Portanto, ela permite fazer o tratamento de sementes, assim como modificações e upgrades genéticos, com objetivo de proporcionar plantas mais fortes, rentáveis e resistentes às pragas e ervas daninhas.

Sensores

A instalação de sensores no campo está sendo cada vez mais utilizada por produtores rurais. Seu uso permite obter diversas informações importantes sobre a plantação, o solo, o clima, entre outros fatores. Além disso, os sensores potencializam e agilizam a coleta de dados, também permitindo realizar os comandos de forma automática e executar tarefas a distância em tempo real.

Drones

O uso de drones no campo está em crescimento, pois eles ajudam a colher informações sobre o terreno e preparar o solo para o plantio. Além disso, esses equipamentos permitem acompanhar o desenvolvimento da lavoura em relação ao surgimento de pragas e doenças, trazendo benefícios diretos na produtividade e redução de gastos.

Desafios na implementação da Agricultura 4.0 no Brasil

Os desafios na concretização da Agricultura 4.0 em território nacional dizem respeito, principalmente, à falta de conectividade no campo, que dificulta o desenvolvimento de soluções nas produções. De acordo com a Summit Agronegócio Brasil, em 2019, cerca de 50 milhões de hectares na área rural ainda não possuíam acesso à internet.

Isso acontece porque, no Brasil, há uma enorme carência de infraestrutura de telecomunicação em zonas rurais. Dessa forma, ainda existe pouca conexão à internet no campo, comparado às áreas urbanas.

Outro fator que dificulta a implementação da Agricultura 4.0 no país é a falta de investimento da parte do produtor, tanto na compra dos equipamentos tecnológicos, quanto na capacitação dos trabalhadores para sua correta utilização. Isso faz com que haja baixa qualificação da mão de obra dos profissionais do campo.

Com a chegada de tecnologias avançadas, o perfil do trabalhador rural muda drasticamente, já que ele deixa de ser apenas um operador de máquinas e passa a ser responsável pelo monitoramento de novas ferramentas. Com isso, é necessário que ele adquira novas qualificações, um ponto que ainda precisa evoluir na realidade brasileira.Por fim, é fundamental para o produtor rural acompanhar com frequência as inovações e aderir às novas tecnologias do mercado. Dessa forma, ele estará se preparando para a chegada da Agricultura 4.0, essa nova realidade que está revolucionado o setor agrícola. Gostou do nosso conteúdo? Leia também nosso texto sobre Inovação no Agronegócio para ficar por dentro das principais tendências tecnológicas da indústria do campo!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.